As passagens da Câmara e o Piauí

Por:Zózimo Tavares
O Brasil, que nos últimos dias volta a se mostrar cioso na defesa da ética na política, fez cara de escândalo com a decisão da Câmara dos Deputados autorizando aumento em todas as despesas com parlamentares, incluindo verba de gabinete – usada para pagar funcionários -, auxílio-moradia e cota parlamentar, que inclui gastos com passagens aéreas e conta telefônica. 
Mas o que deixou o país mais escandalizado, além do reajuste dos benefícios, foi a decisão da Câmara de contemplar as esposas de deputados com o direito de utilizar a cota de passagens aéreas dos parlamentares, desde que seja exclusivamente entre Brasília e o estado de origem. Mais especificamente, o benefício é para o cônjuge. Ou seja, vale também para o esposo da deputada.
No Piauí, há uma situação excepcional. Duas mulheres vão salvar a pátria e serão motivo de muito orgulho para todos nós! Vejamos: a deputada federal Rejane Dias (PT) é esposa do governador Wellington Dias. A Câmara dos Deputados não precisará desembolsar nada para pagar as viagens do marido da deputada petista de Teresina para Brasília. E vice-versa.
Do mesmo modo, a deputada federal Iracema Portella (PP) é esposa do senador Ciro Nogueira, presidente nacional do seu partido. Trata-se de outro marido de parlamentar com o qual a Câmara Federal não terá qualquer despesa com passagem aérea para seus deslocamentos entre seu estado de origem e Brasília. 
Como se vê, o Piauí vai contribuir significativamente com a Câmara, que durante os próximos quatro anos deixará de pagar passagens quase semanais para os maridos de duas deputadas. Não é nada, não é nada, por conta dessas duas situações, os gastos com os deslocamentos dos cônjuges dos deputados federais do Piauí para Brasília cairão aproximadamente 10%.
Está aí, pois, uma situação a justificar plenamente o voto no governador para um cargo eletivo e na mulher dele para outro, no senador Ciro Nogueira para um cargo e na mulher dele também para outro. Que o benefício da passagem aérea seja estendido aos filhos dos parlamentares. O Piauí já os tem em quantidade suficiente para não precisar das passagens de Brasília!
PS.: O Piauí dá lucro também à Câmara, nesta questão das passagens aéreas, com o deputado Paes Landim (PTB), um setentão que ainda desfruta de sua prolongada solteirice. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *