Lagoa do Sobradinho seca, deixa pescadores sem trabalho e preocupa ambientalistas

  • TV Cidade Verde/Reprodução
  • TV Cidade Verde/Reprodução
  • TV Cidade Verde/Reprodução
  • TV Cidade Verde/Reprodução
  • TV Cidade Verde/Reprodução
A Lagoa do Sobradinho, localizada em Luís Correia e considerada a maior do litoral do Piauí, também desapareceu. A exemplo do que aconteceu com a Lagoa do Portinho, em Parnaíba, o local, que já foi cenário de novela, secou, deixou 500 pescadores da região sem trabalho e virou alvo da preocupação de ambientalistas.
O cenário é desolador: a água abundante do passado deu lugar ao chão rachado do presente. Segundo dados da Gerência de Meio Ambiente de Luís Correia, a Lagoa do Sobradinho tinha até cinco metros de profundidade; hoje, a água existe apenas em pequenas e raras poças que servem para refrescar um ou outro animal. Além disso, o tucunaré, peixe típico da região, já não existe mais.
Parte do problema é resultado da ação das dunas, que cobriram no Rio Sobradinho, afluente que irrigava a lagoa. Mas esse não é o único problema. Moradores da região denunciam que fazendas de criação de camarão também contribuem para a situação precária. Sem água, o antigo ponto turístico praticamente não recebe mais visitantes e bares foram fechados.
“Tem uma fazenda de camarão. A gente já chamou o Ibama e a Semar, mas o rapaz continuou puxando água”, comenta Raimundo de Araújo, um dos 500 pescadores que ficaram sem trabalho na região.
Para tentar resolver o problema, técnicos da Gerência de Meio Ambiente de Luís Correia fazem um estudo de impacto ambiental na Lagoa do Sobradinho e em outras cinco lagoas da região. “É um trabalho para combater a estiagem”, explica Adriano Gomes, gerente de Meio Ambiente da cidade litorânea.
Flávio Meireles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *