PETISMO E DITADURA, TUDO A VER

Altamir Tojal
Este Mundo Possível
O PT usa o mesmo padrão do discurso da ditadura para desqualificar a crítica, fabricar inimigos e justificar a aniquilação da oposição e da resistência. O padrão de resposta do PT à crítica está cada vez mais próximo da propaganda da Ditadura de 1964.
O PT rotula a oposição como “direita”; a ditadura rotulava como “comunista”.
O PT chama a resistência de “golpista”; a ditadura chamava de “subversiva”.
O PT espalha que os adversários “não gostam do povo”; a ditadura espalhava que os adversários “não gostavam da Pátria”.
É o mesmo padrão do discurso da ditadura para desqualificar a crítica, fabricar inimigos e justificar a aniquilação da oposição e da resistência.
PERPLEXIDADE

Eu tinha 16 anos quando ditadura começou. Já atuava no movimento estudantil e participei da resistência desde o dia primeiro de abril de 1964.
Hoje revivo com tristeza o sentimento de perplexidade em relação às pessoas que defendiam o regime de censura, tortura e terror da ditadura.
É o mesmo que tenho em relação aos que defendem o regime petista, esta aliança putrefata entre a oligarquia mais retrógrada, o capitalismo mais atrasado e a nomenklarura mais voraz no assalto e na destruição do país.
Essa gente se enrola em bandeiras vermelhas para justificar o roubo da merenda das crianças e do remédio nos hospitais, o saque às empresas estatais, a precariedade dos serviços públicos, a desorganização da economia e a conspiração contra a democracia.
O PT desmoraliza a esquerda, coisa que a ditadura não foi capaz. E ressuscita a direita estúpida, que pede a intervenção militar.
Como a ditadura, o PT destruiu os sonhos e empobreceu o futuro de toda uma geração. Resistir é preciso.
(artigo enviado por Mário Assis)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *