Sapos vermelhos estão tremendo nas bases

                    Eduardo Cunha:eleito presidente da Câmara Federal
A eleição do peemedebista Eduardo Cunha (RJ) para presidente da Câmara dos Deputados sinaliza a derrota e a fragilidade do PT no Congresso Nacional, raciocina o bicho-grilo jornalista José Adalberto Ribeiro. Ele lembra episódios históricos.
“O Impeachment de Collor só aconteceu em 1992 porque o presidente da Câmara, Ibsen Pinheiro, deixou rolar. Em 2005, no auge do Mensalão, o governo Lula mergulhou no fundo do poço. Choveram vários pedidos de Impeachment nas mãos de Severino Cavalcanti, que presidia a Câmara.
“Enquanto comia amendoim a tomava xarope de catuaba, Severino pensou: Não vou deixar tramitar esses pedidos de Impeachment porque meu amigo Lula pode ser lascar, vai ficar arretado comigo e eu vou perder uma boquinha no Planalto. Entonces, engavetou os pedidos. Assim foi salva a república dos sapos barbados.
“Os passaralhos de Brasília sabem que Eduardo Cunha é cobra criada e não vai dar trelas ao Palácio do Planalto. Existem raios e tempestades no ar. Se pousar um pedido de Impeachment nas mãos de Eduardo, só Zeus sabe o que pode acontecer”. “Os sapos vermelhos estão tremendo nas bases”, eis a crônica do bicho-grilo postada no Menu Opinião. Os bichos estão tremendo e não é de frio. 
(Magno Martins)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *