Greve de terceirizados paralisa IML de Parnaíba e vira caso de polícia

Os funcionários terceirizados do Posto Avançado do Instituto de Medicina Legal (IML) de Parnaíba paralisaram suas atividades e provocaram transtornos na unidade. Insatisfeito com algumas medidas tomadas pelos protestantes, o coordenador Klécio Carvalho de Araújo já comunicou a greve à Secretaria de Segurança e promete levar o caso à polícia.
A paralisação dos terceirizados teve início na segunda-feira (23). Eles alegam atraso de até três meses no pagamento. A greve, em si, não deixou o coordenador do IML de Parnaíba irritado. O que causou revolta foi a metodologia utilizada no “protesto”.
Klécio Carvalho de Araújo, coordenador do
IML de Parnaíba
“Eles estão assumindo algumas condutas criminosas. Na segunda-feira, eles fecharam o prédio e não deixaram os outros funcionários trabalharem. Nesta terça, deixaram os cadeados trancados. Foi preciso arrombá-los para os demais servidores entrarem”, relatou Klécio Carvalho de Araújo.
Por causa dos transtornos, o coordenador do IML de Parnaíba promete levar o caso à Polícia. “Vou solicitar providências por parte da Polícia. Quero que a Polícia abra um inquérito policial. Os terceirizados estão atrapalhando o serviço do IML mais por causa dessas condutas”, comentou Klécio Carvalho de Araújo.
A Secretaria de Segurança e a Diretoria de Polícia Científica do Estado já foram comunicadas sobre a paralisação e, de acordo com Klécio Carvalo de Araújo, devem apresentar soluções na quarta-feira (25). “O coronel Rubens Pereira, da Secretaria de Segurança, me disse que daria até quarta-feira um retorno sobre a questão dos terceirizados. Estamos aguardando”.(Por Flávio Meireles/Cidade Verde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *