PSL vai isolar o vereador Marcos Foguinho para inviabilizar sua reeleição

O fim das coligações proporcionais tem “mexido” com os vereadores eleitos pelos pequenos partidos, também chamados partidos de aluguel. Isto com relação ao futuro de cada um. Em Parnaíba, por exemplo, um vereador, está tendo o “fim” de sua carreira política traçado pelo seu próprio partido – o PSL. 
Trata-se do vereador Marcos Meneses, o “Foguinho”, o menos votado nas últimas eleições, mas que deixou na suplência o vereador de vários mandatos, advogado Reinaldo Filho, que obteve mais votos que ele e que deixou de assumir por imposições da legislação.
Lideranças do PSL, ressentidas pelo fato de Foguinho haver abandonado a agremiação depois de eleito, praticamente desconhecendo as determinações do partido e pouco participando de suas reuniões, pretendem dar o troco, deixando o vereador literalmente “falando só”. Por não desejarem expulsá-lo, organizam-se para deixar o partido, em bloco, migrando possivelmente para o PR, do deputado estadual Fábio Xavier ou para o Partido “Muda Brasil”, uma nova sigla que está sendo articulada em nível nacional.
Um dos articuladores desse abandono ao PSL seria o suplente de vereador Maksuel Brandão, que é do diretório do partido. Por não ver disposição em Foguinho de abandonar a sigla, Brandão estaria articulando a transferência de seus correligionários para o PR, deixando Foguinho entregue a seus próprios devaneios, vez que se nega a procurar seus partidários para dialogar.
O PSL atualmente é presido pelo ex-vereador e pastor evangélico Wanderley Sampaio, porém, é Maksuel Brandão o responsável pelas articulações em torno das possíveis mudanças que deverão ocorrer internamente na sigla. 
Fonte:Jornal “Tribuna do Litoral”
Nas bancas! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *