Rede estadual de saúde está sem medicamento para pacientes com câncer

Pacientes da rede estadual de saúde do Piauí estão passando por algumas dificuldades em seus tratamentos. Alguns doentes, em tratamento contra o câncer, estão sem medicamentos disponíveis, doses que chegam a custar R$ 12 mil. A Defensoria Pública do Estado tenta viabilizar um acordo com a Secretaria Estadual de Saúde para que esses pacientes, que precisam de medicamentos e cirurgias, possam ser atendidos.
Dona Filangieri Portela Filho, 57 anos, por exemplo, faz tratamento contra um glioblastoma grau 4, um tumor cerebral que tem como característica se espalhar rapidamente pelo corpo. Ela está necessitando de uma dose por mês de um medicamento quimioterápico. 
“Ele já está há um ano e dois meses em tratamento. A cada etapa, a médica passa uma receita com três doses e é uma a cada mês. Nós chegamos a receber algumas doses, mas do final do ano para cá não estamos mais conseguindo. Nossa família teve que se unir, vendemos terrenos, já nos desfizemos de tudo que tínhamos para pagar o tratamento”, explica Yara Gonçalves Portela, filha do paciente.
O defensor público Nelson Nery Costa, que acompanha este e vários outros casos semelhantes, afirma que a família desse paciente gastou R$ 350.000 apenas com uma cirurgia, que precisou ser feita em São Paulo. “Os médicos afirmaram que ele está respondendo bem ao tratamento. Mas é preciso que o Estado assuma suas responsabilidades e forneça o medicamento para os pacientes que necessitam. Este não é o único caso. O Núcleo de Saúde da Defensoria Pública está recebendo vários pacientes na mesma situação, a espera de medicamentos e cirurgias”, afirma o advogado.(Com informações do Portalaz)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *