Na reforma de W. Dias a montanha pariu um rato

Não há uma grande novidade que justifique toda expectativa em torno da tão propagada Reforma Administrativa do Governo Wellington DiasA bem da verdade, longe de querer transparecer qualquer superioridade ou entendimento em assuntos econômicos, a primeira impressão desta jornalista é de que o governador Wellington Dias desperdiça mais uma boa e preciosa oportunidade para ajustar as contas do Estado. De ajustar na verdade a estrutura organizacional. Porque, resumindo, ao propor a criação de novas coordenadorias, impossível não associar a mais um cabedal de empregos e abertura de espaços políticos.
A Fundac, que vai virar Secretaria para poder ser ocupada por um deputado. Apesar de ter uma Secretaria de Desenvolvimento Rural, a nova proposta cria mais um pasta na área que vai tratar exclusivamente da questão de irrigação. O Estado já possui uma Fundação de Esportes, Coordenadoria da Juventude  e uma Secretara de Turismo, no entanto será criado mais um órgão para cuidar do desenvolvimento do Esporte e Lazer. Oi?
Em nenhum momento, a necessidade de enxugamento da máquina para redução de despesas está explicitada. A expectativa foi frustrada, como o blog previu em comentários anteriores.
Não houve redução de despesas significativas com a fusão de órgãos que hoje desempenham a mesma ou funções parecidas.  Na verdade o ponto alto da reforma proposta pelo governador está centrado na Agespisa, que seria apenas a conclusão de um processo iniciado há mais de 10 anos, quando encaminhou para a Assembleia uma proposta de reforma ainda em seu primeiro mandato; e nas mudanças do Iapep.
Nada demais.(Por:Elizabeth Sá)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *