Parlamentar ameaça acionar a Justiça se a Academia de Polícia não for devolvida a Parnaíba

Após várias discussões sobre a retirada do Curso de Formação de Oficiais (CFO) da Academia de Polícia de Parnaíba para Teresina, o tema voltou a ser pauta na sessão de ontem (15) da Câmara Municipal. Sob o requerimento do presidente da Câmara, Gustavo Lima, que propôs a criação de uma Comissão Especial que irá tratar sobre a permanência da Academia de Polícia na cidade, os parlamentares apresentaram suas posições sobre a atual situação da instituição.
Abrindo o debate, Gustavo Lima disse que não descansará enquanto não resolver o problema que se tornou o CFO. “Queremos que o Curso de Formação de Oficiais volte para Parnaíba porque a Academia de Polícia só funciona com o curso aqui”, explicou.
De forma veemente, o vereador Carlson Pessoa (PSB) criticou a desativação da academia, bem como a transferência do CFO para Teresina que, segundo ele, foi feita de forma irregular e criminosa. “A transferência do curso não passou por voto da Assembleia. Isso é um desrespeito com a cidade de Parnaíba e, como representante dos cidadãos parnaibanos, não permitirei essa situação”, desabafou. O parlamentar ainda estabeleceu um prazo para que o governo estadual apresente uma solução plausível para o problema e ameaçou entrar com uma ação judicial contra o governo. “Se até o dia 31 de maio o governo do Estado não nos der uma resposta firme sobre essa questão, entrarei com uma ação na justiça”, afirmou.
Situação atual

Desativada desde 2009, restou apenas o prédio da Academia de Polícia de Parnaíba. Toda a estrutura da instituição, como móveis, ônibus, computadores, fardamentos e etc foram levados para a capital. Lá, a informação é de que os alunos que foram transferidos para Teresina estão estudando em condições totalmente desfavoráveis, pois eles não têm local certo para as aulas. Além disso, falta alimentação e demais provimentos para que os oficiais sigam com os estudos.(Por Luzia Paula)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *