UNIÃO CAIXEIRAL: PASSADO, PRESENTE E FUTURO

Cada um dos
degraus da escadaria da Caixeiral tem a marca, o sonho, o empenho, a audácia, o
trabalho dos 122 rapazes que criaram e coordenaram a construção deste sobrado e
nele instalaram uma escola e alugaram as salas do térreo para lojas comerciais.
Eram 122 caixeiros, isto é, trabalhadores do comércio. Comerciários, como se
diz hoje. Todos eles subiram e desceram estes degraus centenas de vezes até que
o grandioso sobrado ficasse completamente pronto. A audácia começou em 1918. A
Associação Comercial de Parnaíba havia sido fundada um ano antes, em 1917. Era
uma entidade particular dos comerciantes, os donos das firmas comerciais, em
defesa de seus interesses. Nada havia para os caixeiros, aqueles rapazes que
trabalhavam nas empresas dos comerciantes. Eram atendentes de balcão, caixas,
escriturários, despachantes, auxiliares-de-escritório, contínuos,
guarda-livros… representando a maioria dos empregos da cidade no começo do
século.
Havia apenas
uma grande escola na Parnaíba, o Colégio das Irmãs, destinado a moças de
famílias ricas. Também não havia nenhuma escola de aulas noturnas. Por isso, os
caixeiros, que tinham somente o ensino primário e trabalhavam o dia inteiro,
não podiam se formar com preparação técnica especifica para o seu trabalho.

Difícil hoje
afirmar quem teve a ideia de criar a União Caixeiral, mas sabe-se que logo essa
ideia tomou fôlego e, em pouco tempo já havia 122 caixeiros empenhados em criar
uma entidade e uma casa destinada aos seus interesses e a formação dos seus
filhos; uma escola em que os futuros caixeiros pudessem aprender seu oficio com
profundidade. Assim nasceu a União Caixeiral, no dia 28 de abril de 1918. O
prédio, fruto daquela união, foi erguido pelo trabalho continuo dos seus
fundadores, que pagavam pequena mensalidade; com a renda de festas que realizavam
e, sobretudo, com a ajuda financeira de algumas empresas comerciais que
acreditavam no sonho. Vinte anos depois, o prédio estava parcialmente pronto e
a Escola estava legalizada, pelo Ministério da Educação, para o Curso Técnico
de  Contabilidade da União Caixeiral, com
aulas noturnas e pagamento de módicas mensalidades. A primeira turma formou-se
em 1942. Era o sonho realizado dos 122 caixeiros, sócios fundadores da escola
técnica de contabilidade da União Caixeiral, que amargou ruina no inicio do
século 21 até que, 97 anos depois de sua fundação, renasce para os comerciários
da Parnaíba como Centro Cultural João Paulo dos Reis Velloso.
(Transcrito do jornal “O Bembém”)

Deixe uma resposta