Abandono: Órgãos do Governo do Estado em Parnaíba funcionam em estado precário

                                         Espaço da Cidadania
Apesar de ser do mesmo partido do prefeito Florentino Neto (PT), o governador Wellington Dias vem tratando Parnaíba de forma discriminatória, a partir da retirada para Teresina da Academia de Polícia que era no município ao esvaziamento de alguns órgãos do Estado, cujo funcionamento é precário, prejudicando àqueles que necessitam de atendimento nestes setores.
No IAPEP, por exemplo, há reclamações de que o telefone está cortado, por falta de pagamento; o malote dos correios também não existe mais, também por falta de pagamentos e as clínicas e hospitais estão sem receber há cerca de 3 meses, o mesmo ocorrendo com os profissionais médicos, sendo que alguns estão se negando atender os segurados.
Na 1ª Ciretran (Detran), quase 5 meses depois da posse do governador, sequer foi nomeado um novo diretor e o cargo vem sendo ocupado interinamente por um funcionário do órgão. Algumas medidas tomadas pelo gestor passado, como aumento no número de pessoas para melhorar o atendimento, foram sustadas. “Hoje faltam funcionários, por exemplo, no atendimento geral, no setor de captura de imagens e no registro de placas”, reclamam.
No espaço Cidadania, na Avenida Presidente Vargas, que deveria funcionar com vários órgãos do governo do Estado por se tratar de um local centralizado, isso não está ocorrendo. Não existe mais o posto da Eletrobrás Piauí, tampouco o da empresa de distribuição de água – a Agespisa
A estrutura do prédio também apresenta vários problemas como lâmpadas queimadas, teto com goteiras e pastas com documentos do “seguro pesca” amontoadas já na entrada.
Procurada a coordenação do espaço, ela relatou, por telefone,  que não poderia dar entrevista. Eu estou como responsável do prédio, mas não estou autorizada a dar entrevista”, disse. Indagada sobre as lâmpadas queimadas e as goteiras, a coordenadora Patrícia Aragão solicitou que se procurasse explicações na capital Teresina.
No Espaço da Cidadania ainda funcionam setores da Junta Comercial, da Secretaria Estadual da Fazenda do Piauí (Sefaz-PI), do Sistema Nacional de Emprego (Sine-PI), da Secretaria de Segurança Pública e da Defensoria Pública.  
Por dia, cerca de 400 pessoas utilizam os serviços. Ao todo, são quase 30 funcionários. Alguns, contratados por uma empresa terceirizada, estão há três meses sem receber seus salários. Eles torcem para receber o quanto antes, e esperam também que passe logo o período chuvoso, pois as goteiras estão por boa parte da estrutura.
(Matéria do Jornal “Tribuna do Litoral” nas bancas neste sábado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *