Descaso com a educação no estado do Piauí

Os alunos da rede pública estadual, estão sendo prejudicados por conta da ineficiência do governo em sanar as questões referentes ao ensino básico, como a própria quantidade insuficiente de professores disponíveis na sala de aula. Nas escolas de tempo integral, como o CEMTI em Parnaíba, o que se vê, é que faltam professores suficientes para dar conta das disciplinas nessa instituição. Os alunos, ao tentarem clamarem por seus direitos, são aconselhados pela direção da escola a não se manifestarem por lá. Ora, já estamos atravessando o mês de maio e a situação se encontra ainda sem uma solução prática, por parte do governo Wellington Dias. As recentes entrevistas da secretária de educação, esposa do governador, informam que as medidas estão sendo tomadas, porém, nas salas de aula, o que se vê, é que pouco tem sido feito. Existe um numero de mais de 2.300 professores aprovados em concurso público realizado em junho do ano passado, esperando suas nomeações, o que ajudaria a sanar as dificuldades por que passa a educação em nosso estado. Mas, no entanto, a secretaria, por meio da Seduc, prefere a contratação de professores substitutos o que faz com que, as os contratos possam ser, a qualquer momento quebrados, além de colocarem os professores em situação de dependência, causando uma precarização maior do trabalho que se desenvolve.  O link da própria SEDUC: http://www.seduc.pi.gov.br/Seduc-convoca-mais-1-321-professores-substitutos/2758 aponta a contratação.

O que os alunos pedem é, apenas o que lhe é direito. Querem oportunidade de uma educação de qualidade, que possam ter acesso às universidades. Do jeito que está, o governo só compromete o ano letivo dos alunos, prejudica, principalmente aqueles que esse ano irão prestar o ENEM. O mais grave é que existe uma solução muito prática, que passa pela nomeação imediata dos professores concursados, que, sem dúvida, poderiam estar atuando já nas salas de aula, ajudando os alunos no ensino-aprendizado. Mas, até o momento, o governo do estado só tem adiado uma resolução, o que vem causando enorme déficit para os estudantes. Onde fica a “pátria educadora”, falada pela presidente, que, aliás, é do mesmo partido do governador? É necessário não se calar diante de tal situação. Os estudantes e os próprios professores merecem ser respeitados em suas condições. Nomeação já! Estudantes com aulas já!(Blog do Pessoa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *