Poder Público se omite frente à situação do Instituto Histórico de Parnaíba

Funcionando há tempos de forma precária, a sede do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Parnaíba (IHGGP) está com sua estrutura comprometida, oferecendo riscos aos que frequentam o local. Se a temporada de inverno tivesse sido mais rigorosa a possibilidade de um desastre, de consequências inimagináveis, seria iminente.
Mesmo assim, o presidente do órgão, Reginaldo Júnior, continua disponibilizando o espaço para os estudantes universitários que o procuram para realizarem pesquisas escolares. “Aqui também recebemos muitos turistas, no período de alta estação, quando somos procurados por pessoas que buscam informações sobre a cidade”, comenta o presidente, que lamenta a falta de apoio dos setores público e empresarial, não obstante a importância dos serviços oferecidos pelo Instituto, que possui ainda uma biblioteca infantil bastante procurada.
                        Situação do teto: prestes a desabar
O IHGGP é um dos prédios antigos de Parnaíba que está na lista dos que deveriam ser beneficiados com recursos do PAC das Cidades Históricas. Os recursos, da ordem de 38 milhões, foram prometidos pela presidente Dilma ainda em 2013 e deveriam beneficiar o Complexo Turístico Porto das Barcas,  o Museu do Mar, Casarão da Escola de Direito Miranda Osório, Antigo Sobrado Dona Auta e Sobrado do Museu Simplício Dias.
                                    Teto do Instituto Histórico
Com a crise financeira do país, dificilmente esses recursos serão liberados este ano, razão pela qual o presidente Reginaldo Júnior teme que o pior possa acontecer. O prefeito Florentino Neto não se manifesta com nenhuma possibilidade de uma reforma emergencial, talvez por acreditar na promessa da Presidente Dilma. Mas, segundo técnicos que conheceram o local, o perigo de desabamento existe e é preocupante.
O Presidente Reginaldo Junior continua recebendo caravanas de estudantes
                      IHGGP: local de visitação de estudantes e turistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *