Polícia suíça pega velhinhos com as calças na mão

Por:Pádua Marques(*)
Eu mal havia levantado da cama e colocado os pés dentro dos chinelos, depois de comemorar com alguns amigos e minha família a data de meu aniversário de cinquenta e nove anos, quando fiquei sabendo que o José Maria Marin havia sido preso em  Zurique, na Suíça, juntamente com outros componentes da FIFA, sob a suspeita de estarem eles há mais de vinte anos usando e abusando de milhões de torcedores, equipes, jogadores, governos e presidentes de federações de futebol por esse mundo todo com esse negócio de Copa do Mundo.
Faz um bom tempo que o Romário vive alertando sobre esta máfia, essa quadrilha que é a CBF, comandada pelo Ricardo Teixeira, genro do João Havelange e todos os seus dirigentes.  E assim como teve muita gente que acreditou no ex-jogador teve também aqueles que nunca acreditaram e sempre houve dentro da entidade e até da grande imprensa alguém muito poderoso pra desqualificar o que ele vinha alertando. Romário estava fazendo o que faz aquele amigo, aquele camarada que está avisando que na nossa frente tem um buraco ou uma casa de marimbondos e a gente tira é onda da cara dele.
Agora está todo mundo com as calças na mão. E o Brasil, que já anda mais mal falado do que a Dolores Siera, aquela moça perdida na beira do cais lá em Barcelona, volta ao topo de mais um escândalo internacional. E a gente imagina aqueles velhinhos todos, tão bons de procurarem rezar o terço dos homens ali na Igreja de Santo Expedito pedindo uma boa morte, ao contrário, puxados pelo Joseph Blater, vivem é correndo o mundo todo e convencendo nações e times de futebol, aliciando chefes de estado e de governo sobre vantagens desse ou daquele país sediar Copa do Mundo. Fazendo fortuna com enganação.
E ficam hospedados nos melhores hotéis calculando os próximos golpes e montando esquemas, fraudando, aliciando autoridades, políticos e empresários sobre como tirarem proveito e aumentarem fortunas pessoais e dessas entidades. Porque foi desse jeitinho mesmo que aconteceu com o Brasil. Era presidente o Lula e me saiu daqui do Brasil com uma caravana de desocupados, piores do que ele, pra assistirem a eleição de quem deveria sediar a Copa do Mundo de 2014.  E o pior é que na época todo mundo bateu palmas, menos eu.
E sabe lá Deus quais foram as vantagens negociadas, mas deu Brasil pra Copa do Mundo de 2014. O Brasil deixou Lula atentando dona Marize em São Bernardo do Campo e colocou no lugar a dona Dilma Rousseff. E ela se achando a chefe da estação se encarregou de cumprir o prometido: preparar o Brasil pra Copa. E aí o Brasil fez a mesma coisa de menino maluvido: ao invés de ir direto pra escola foi se juntar a outros mais malandros que ele pra jogarem bola no campinho longe de casa e dos olhos da mãe. E pouco tempo depois, um ano, o Brasil está à deriva. Á deriva porque deixou de se preocupar com coisas mais importantes. Foi feito o piolho, foi pela cabeça dos outros.
(*)Pádua Marques é escritor e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *