De férias desde segunda feira vereadores parnaibanos só voltam ao trabalho em agosto

                                    Vereadores já estão de férias
De férias desde segunda feira (15), os vereadores parnaibanos só devem voltar ao trabalho, realizando sessões ordinárias, no próximo dia 3 de agosto, conforme determina o regimento interno da Câmara.
Foi com a intenção de acabar com este período prolongado de “descanso” que, ainda em 2013, no início da atual legislatura, o vereador de oposição, Carlson Pessoa (PSB) tentou acabar com os 30 dias de folga de julho e também do mês de fevereiro, mas a maioria dos seus pares derrotou sua proposta, com relação às férias de julho. “Entendemos que esse recesso prolongado depõe contra a Câmara e todos os vereadores, que atualmente têm mais dias de férias do que os estudantes”- justificou na época o vereador.
Carlson Pessoa
Antes da emenda de Carlson Pessoa os vereadores, que se reúnem do dia 1º ao dia 15 de cada mês, tinhas férias durante os 15 dias restantes de junho e todo o mês de julho; os últimos 15 dias de dezembro e os meses de janeiro e fevereiro. Só iniciavam o ano legislativo em março. Agora, após a emenda, o recesso fica no final de junho e mês de  julho e depois de 22 de dezembro e todo o mês de fevereiro.
Carlson Pessoa também propôs, na semana passada, amiudar os dias de sessão, acabando com os 15 dias de folga mensais que existem atualmente. Novamente foi derrotado em sua proposta.
Ele sugeriu que ao invés das reuniões acontecerem apenas na primeira quinzena de cada mês, que os debates se estendessem durante o mês inteiro, de terça a quinta-feira de cada semana. Para o parlamentar do PSB, dessa forma haveria mais tempo para planejar e tratar em Plenário sobre os projetos e assuntos da cidade.
Pessoa propôs também que as reuniões fossem antecipadas de 19:30 para 18:30, pois de acordo com ele, isso facilitaria a rotina e planejamento dos demais colegas. Carlson Pessoa ficou decepcionado com a negação do pedido.
“Tentamos fazer com que as sessões durassem o mês todo, ficando a segunda e a sexta-feira livres para as ações externas. Mas o Plenário é soberano e a maioria optou por permanecer no atual regimento da Lei Orgânica do Legislativo”, lamentou Carlson Pessoa.(Bernardo Silva)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *