Uespi perde Mestrado por falta de estrutura e professores cobram reforma

                                         Deputado Rodrigo Martins
A falta de estrutura no campus da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) impediu a instalação de um Mestrado na área de Tecnologia no Estado.  Segundo professores do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU), o prédio precisa de reforma física e administrativa para evitar perda de alunos e servidores.
Ao todo, são 29 professores e 460 alunos matriculados nos cursos de Engenharia Civil, Engenharia Elétrica e Ciência da Computação, que dividem apenas 10 salas de aula. “O ideal seria 30 salas no CTU. Por conta disso, os alunos precisam assistir aulas em outros centros da universidade, mais distantes. Essa estrutura fragmentada do prédio impediu a instalação de um Mestrado na área de Tecnologia no Piauí”, revelou o professor Anchieta Araújo.
Mesmo com problemas estruturais, os cursos de Engenharia têm avaliação positiva junto ao MEC. Porém, o número de vagas ofertadas tem diminuído ao longo dos anos. “E, por conta disso, estamos perdendo as cabeças pensantes para outras instituições e para outros estados. Nossos melhores profissionais, formados na Uespi, estão atuando em mercados fora daqui. Quem perde é o Piauí”, lamenta o professor Marcos Carvalho.
A situação do CTU da Uespi foi discutida durante reunião com a presença do deputado federal Rodrigo Martins (PSB), o reitor da instituição, Nouga Cardoso, e professores dos três cursos ofertados no Centro. “A estrutura desse prédio foi reaproveitada e adaptada, o que impede a acomodação de todos os alunos, servidores e professores do Centro. Além de ser antigo, carece de acessibilidade.”, afirma Nouga, que reconhece o esforço do Governo do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *