“Vou manter minha coerência em respeito aos eleitores”- afirma Bernardo Rocha

                                  Vereador Bernardo Rocha
O vereador Bernardo Rocha (PSC), eleito pela oposição, disse que continua isolado pela cúpula do seu partido e que não sabe que caminhos tomar com vistas às próximas eleições. “Sabemos que estão conversando, falando em nome de possíveis candidatos a prefeito, mas não somos convidados para nenhuma reunião. Somos informados das coisas por terceiros”, reclama o vereador, afirmando que nesse momento nem sabe se será candidato à reeleição no ano que vem. “Qual a importância de estar filiado a um partido, com um mandato? Uma coisa é certa: não vou servir de instrumento pra ninguém. Se entender no momento certo que minha candidatura é viável, concorrerei à reeleição”, disse.
Ainda na oposição Bernardo Rocha disse que “tirou o pé do acelerador”, porque tinha em mente apresentar vários projetos e requerimentos na Câmara, mas viu que muito pouco acontece. O prefeito Florentino Neto não executa aquilo que o vereador reivindica, em nome da população. Segundo ele “não adiante o vereador sair por aí com um monte de papéis debaixo do braço, mostrando seus projetos e requerimentos aprovados na Câmara porque o prefeito não os executa. “A população está descrente e nos recebe dizendo: já vem mentir, já vem prometer…””. Para ele o Legislativo também tem uma parcela de culpa pela omissão do prefeito, quando não exige dele (Prefeito)a execução pelo menos de parte dos requerimentos. “Pensei que o prefeito Florentino fosse ser melhor administrador para a cidade; pensei que ele fosse aproveitar a oportunidade para melhorar a vida das pessoas mais pobres, mas não há respeito sequer ao trabalho dos vereadores”.
Quanto à possibilidade de mudar de partido, no caso da lei permitir, com a abertura de uma “janela” na reforma política que está sendo discutida no Congresso, ele diz que ainda não pensou no assunto. Mas a intenção é se manter coerente, no mesmo partido, em respeito aos seus eleitores que o elegeram para fazer oposição. “Eu tinha muita vontade de ser vereador, mas não tenho a ganância de morrer vereador”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *