MATÉRIA- PRIMA

Por:Benedito Gomes(*)
Conceituando o que seja matéria-prima podemos dizer que se trata da substancia em estado natural, com a qual se fabrica alguma
coisa. Esclarecimento muito seco, mas no dicionário está exatamente assim.
Vou
tentar desenvolver este assunto e explicar melhor diversos tipos de matéria
prima que temos. Por exemplo: argila, barro, é a melhor matéria prima para a
fabricação de telhas, tijolos e outros produtos cerâmicos. O cimento é produto
acabado, porém, misturado com areia forma matéria prima para rebocos, pisos e
muito mais. O ouro é joia, depois de lapidado. Antes, é apenas ouro.
A mesma coisa podemos dizer do diamante. De uma pedra bruta, após passar pelas mãos hábeis de um artesão se transforma em joia valiosíssima.
E o que dizer do Esturjão, peixe de grande porte, abundante no mar Cáspio, cujas
ovas são transformadas no famoso caviar. Tudo que você ver nas lojas,
prateleiras de supermercados, bares, restaurantes, etc, todos aqueles produtos
que ali estão, antes foram matéria- prima. 
Existe um produto completo e
interessante: o nosso corpo, tem 75% de água; frutas diversas tem percentuais de
30%, 40%, 50% a mais de água, e a própria água, qual a sua composição? H2O 100%, água. É o produto acabado, da nascente ao consumidor final.
Lembrei isso porque, temos hoje no Brasil um produto acabado da pior
qualidade, entre milhares de exemplares. Alguns se destacam pelo que fazem e
podemos afirmar que são poucos. Das menores até as grandes cidades este produto
está disponível, sem credibilidade, sem utilidade, sem responsabilidade e até
sem coração, porque o que fazem está longe daquilo que se propõem. Este produto
final são nossos políticos. Pensando bem, a matéria prima do político somos
nós, eleitores, e por que então produzimos um produto acabado tão ruim?
Acredito que nos enganamos, afinal, todo político sem mandato é trabalhador. Depois de eleito aí a coisa muda. 
Este ano somos obrigados a votar.E em quem?
Os produtos que estão aí nas vitrines, a maioria está com a validade vencida,
não serve mais para nada. Os que ainda estão em perfeito estado de
conservação, também estão em débito, pois não cumpriram o principio ativo,
prometido na bula da eleição passada.

Quando o assunto é escolha, às vezes erramos feio. Em 1939, em plena segunda guerra, Hitler ordenou ao general Rommel bombardear uma certa
região da África. Rommel temia uma forte reação da população e Hitler lhe
disse: “O povo não sabe o que quer”. Sabem por que ele disse isso? Porque há
quase 2000 anos Pilatos, prefeito de Judeia, tinha em seu poder diversos
prisioneiros, entre eles o perigoso Barrabás: assaltava em Jerusalém,
Cafarnaum, Nazaré e etc. Também entre os presos estava Jesus de Nazaré. Não
tinha crime nenhum, apenas fazia o bem e discordava de que estava errado. Por
tradição ou não sei porque, lá um prisioneiro seria solto por proclamação
popular. Pilatos colocou no palanque frente à multidão  Jesus e Barrabás e perguntou: liberto qual
dos dois? E o povão gritou: Barrabás! 
Hitler em parte tinha razão e nós às vezes
não sabemos fazer uma boa escolha. Para a próxima eleição somos a matéria prima. Ou fazemos um produto final com garantia ou vamos então aguardar os belos
discursos e seja o que Deus quiser!
(*)Benedito Gomes- Contador (UFPI)

Deixe uma resposta