“O IPMP tem quase 18 milhões em aplicações que não podem ser usados” – diz Florentino

Prefeito Florentino
“Problemas não são para serem lamentados, são para
serem resolvidos”, disse o prefeito de Parnaíba, Florentino Neto, ao reconhecer
como um grande problema da administração a situação financeira do IPMP –
Instituto de Previdência dos Servidores Municipais. “Lá atrás, vários prefeitos
deixaram de contribuir para este Instituto de Previdência e o dinheiro que era
para está lá alguns gestores usaram para financiar a prefeitura e hoje a
administração, em razão dessa falta de recursos, é obrigada a arcar com a folha
de pagamento, com a complementação. Só para se ter uma ideia, no ano de 2014
investimos lá quase 18 milhões de reais e em 2015 perto de 20 milhões, recursos
que a administração teria disponíveis para fazer investimentos”, declarou.
As explicações
do prefeito foram ainda por conta de questionamentos da lei que dispõe sobre a
desafetação de bens imóveis, no caso 80 escolas municipais que passarão a
pertencer ao IPMP. O assunto, inclusive, foi levado ao Ministério Público que, através do promotor Cristiano Peixoto, notificou  o prefeito municipal e o presidente
da Câmara Municipal de Parnaíba, recomendando imediata apreciação, revisão e
consequente revogação da lei que autorizou a desafetação das escolas em favor
do IPMP.

Para Florentino, ”não honrar e procurar relativizar os
direitos dos trabalhadores eu prefiro o caminho mais difícil que é honrar os
direitos dos aposentados. E estou preocupado também em capitalizar o fundo de
previdência para que no futuro este fundo tenha condições de arcar com seus
compromissos, independente de quem esteja sentado na cadeira de prefeito”, pontuou
o gestor.

MINISTÉRIO
PÚBLICO E OPOSIÇÃO

Quanto ao fato da oposição haver levado o assunto ao
Ministério Público o prefeito que a oposição está apressada em criticar o
projeto que foi aprovado na Câmara. “A autorização do Legislativo foi só o
primeiro passo. Depois virá uma série de procedimentos que temos que fazer até
que esses imóveis passem a integrar a carteira imobiliária do IPMP. E um desses
procedimentos é pedir um parecer do Ministério da Previdência, o que vai ser
pedido. Então, aqui não tem um homem querendo fazer nada de ilegal. Aqui tem
alguém com vontade e a determinação íntima de fazer o que deve ser feito para preservar
o direito do trabalhador e a tranquilidade dos parnaibanos”, destacou.

De acordo ainda com o prefeito Florentino, quando o
ex-prefeito José Hamilton assumiu, em 2015, recebeu o IPMP com 2 reais na
conta. “Não pode um Instituto que tinha quase 20 anos ter apenas 2 reais na
conta. Hoje o IPMP tem, de uma forma geral, quase 18 milhões de aplicação que
não podem ser usados. E há um compromisso da Prefeitura com o Ministério da
Previdência que estes 18 milhões são exatamente para capitalizar o fundo e assegurar
o futuro dos aposentados”, explicou.

“O que estou querendo é gerar um patrimônio
imobiliário da Previdência para que dê lastro patrimonial ao IPMP. Isto o
Brasil faz,  a Caixa Econômica faz, a
Eletrobrás já fez, o Estado do Piauí está fazendo, vários Estados e Municípios
fazem ou estão fazendo. Isto é um gesto correto, legal, constitucional. Agora,
é claro que o discurso da oposição sempre será o de contrariar aquilo que se
está fazendo no governo. É a lógica da democracia e eu não estou aqui reclamando.
Agora, o que estamos fazendo é correto, do ponto de vista legal e é correto do
ponto de vista estratégico para gerar condições de tranquilidade lá no futuro
para o Instituto de Previdência assegurar os direitos do servidor municipal no
futuro. Eu só faço uma coisa quando tenho absoluta certeza  de que tudo o que está sendo feito está
correto”, finalizou.

Deixe uma resposta