DEPOIMENTOS SOBRE O FALECIMENTO DE DONA ALMIRA SILVA

              Dona Almira com os filhos: José, João, Herbert e Evangelina
O prefeito de Parnaíba, Florentino Neto, manifestando o sentimento e a gratidão dos parnaibanos para com a ex-primeira dama do município, disse o seguinte: “Lamentando a morte da dona Almira Silva, que foi a esposa do nosso querido ex- prefeito João Silva Filho, mãe do conselheiro do tribunal de contas José Silva; do ex- deputado e ex-vice prefeito João Silva Neto; do prefeito de Ilha Grande Herbert Silva e da senhora Evangelina Silva. Com muitos netos, bisnetos, uma família muito grande. Uma família muito querida na cidade de Parnaíba.
Lembrar da dona Almira é lembrar de sua trajetória como secretária  municipal do bem estar social, de tudo que pode fazer para a organização da assistência social no município de Parnaíba. Lembrar da dona Almira também é lembrar daquela pessoa que sempre esteve presente, seja como primeira dama, seja como secretária e como cidadã, cristã, nos momentos de dificuldades, nas calamidades publicas, das enchentes, sempre ela esteve presente buscando auxiliar, buscando exercer a fraternidade e dar um maior conforto naqueles momentos para as pessoas.
Dona Almira e Dr. João Silva
Lembrar da dona Almira é lembrar de uma mulher que teve a capacidade de estimular o artesanato em Parnaíba; teve a capacidade de estimular as atividades produtivas, atividade de geração de renda e emprego, e isso foi uma missão também para ela. É lembrar ainda que ela contribuiu para a expansão da cidade. Por exemplo, o bairro São Vicente de Paula, que é um grande bairro da nossa cidade, surge da ação da dona Almira, na transferência de pessoas para aquela localidade, dando ali moradia para eles. Foi uma precursora da moradia popular. Lembrar da dona Almira é também lembrar da sua presença na administração municipal, e também da sua presença na pastoral carcerária. Ela foi fundadora da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC); era uma pessoa muito ativa na igreja também. Então fica esse grande exemplo, de uma grande mulher que teve uma importância fundamental para Parnaíba, no âmbito social e no âmbito politico no ultimo século. Lembrar da dona Almira, na verdade, é cultivar um exemplo de uma pessoa comprometida com a nossa cidade”.
O neto de Dona Almira, Juliano Silva, publicou seu depoimento em uma  rede social dizendo o seguinte:
“(…) Tive e tenho um orgulho e alegria imensos de ter convivido com meus 4 avós vivos….. Agora com a partida de Dona Almira só me resta uma. Podem ter certeza que aproveitei isso ao máximo. Com a morte de Dr João Silva, meu avô, em 1996, muitos pensaram que ela pouco duraria, devido a falta do eterno companheiro. Entre esses, eu mesmo. Mas como duvidar da força, da devoção e da grandeza de uma mulher que escolhera o silêncio, a fé e a simplicidade como suas armas para as batalhas da vida? Nunca a vi revidar agressões ou insultos dirigidos a ela, ao Dr João ou mesmo a seus filhos. Sempre preferira passar o lápis na ponta da língua e desenhar. Contra todos os prognósticos, após a partida do marido, ela ressurge das cinzas como uma fênix, trabalhando mais que nunca, com sua caridade, bondade e dom de fazer o bem, e bem, o desenvolvimento da cultura, artesanato e recuperação de presidiários. Seus exemplos ficam, sua falta será sentida para sempre, mas não posso chorar. Sei que estarás bem e feliz, reencontrara o João, seu amor, seu companheiro, seu amigo….. vai vó, vai que o João não aguentava mais de saudade, vai descansar em paz……
Viver 100 anos pode até ser fácil, difícil é viver esses 100 anos, fazendo o bem.
Muito Obrigado por tudo”.

Deixe uma resposta