PARA QUE SERVE O IPHAN?!

               IPHAN tentou “frescar” quando da recuperação da Praça
Um país como o Brasil, que já teve um Ministério da Desburocratização para reduzir burocracias e frescuras, não poderia mais se dar “ao luxo” de ter um organismo como o IPHAN- Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Pelo menos em Parnaíba é um órgão que mais atrapalha e complica do que ajuda. Foi assim quando da reforma da Praça da Graça, quando impuseram uma série de obstáculos para que o piso fosse feito. Para construção dos bancos sequer autorizaram, embora aceitassem depois o que foi feito. Para os “técnicos” do IPHAN na época, a prefeitura não poderia jamais recuperar um banco da praça sem o aval do órgão. Claro que encheram o saco do prefeito da época, José Hamilton.
Shopping dos Camelôs
           IPHAN atrapalha construção Shopping dos camelôs na Praça dos Poetas
O fato parece se repetir agora, com relação ao Shopping dos Camelôs, prometido pelo prefeito Florentino Neto em campanha e cujas obras deveriam ter se iniciado ainda em 2013. O IPHAN não aceitou o projeto original, passando a modifica-lo e encarece-lo, ao ponto do valor da obra ter quase que dobrado. O prefeito diz que o dinheiro inicial ainda está em caixa e existe a promessa do governador Wellington Dias em complementar os recursos que faltam. Mas o IPHAN não dá a autorização final. Chefes do órgão assumem e deixam o cargo e nada se define. E a saída tem sido o prefeito apelar para o “plano b”, como fez com os comerciantes da Praça Coronel Jonas, que num primeiro momento iriam para o Shopping Popular. Mas sem o “OK” do Iphan não tem Shopping. Como disse certa feita o ex-deputado João Silva Neto: ”parece que o Iphan quer é frescar”.

Deixe uma resposta