Mão Santa: ‘eu sabia que esse povo era ladrão, não sabia que era tanto’

Por Rômulo Rocha
Dono da célebre frase que diz: “só tem três coisas que só se faz uma vez na vida: nascer, morrer e votar no PT”, e um dos que mais combateu o Partido dos Trabalhadores da tribuna do Senado Federal, a ponto de incomodar o então presidente Lula, que por isso fez campanha contra o ex-parlamentar no Piauí, Mão Santa esteve durante a tarde deste domingo (13) nos protestos de rua em Teresina.
Transitou pelas pessoas, foi aplaudido, parado para fotografias e concedeu entrevistas. Em suas declarações, o ex-senador não perdoou. “Eu cometi um erro. Eu disse ao povo do Brasil, que essa gente [do PT], quando não estava mentindo era roubando e quando não estava roubando era mentindo. Porque eu sabia que eles eram ladrões, mas nunca pensei que eles roubassem tanto, tanto, tanto, na casa dos bilhões [de reais]. Eu não sei nem escrever”, tascou.
“ESSE POVO NÃO É DE DEUS”
Fazendo um paralelo com o que disse o então candidato a presidente da República, Eduardo Campos, que falou: ‘nós não podemos desistir do Brasil’, Mão Santa foi além, e pregou: ‘nós não podemos desistir é de Deus. Essa gente que está aí não é de Deus”, sentenciou. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. A gente foi casado foi com a verdade. E esse povo [do PT] não diz a verdade”, complementou.
“GOVERNO É DO POVO”
O ex-senador também falou sobre as mudanças nas instituições do país, que passa agora uma outra imagem para fora, a de que pune seus corruptos, sejam eles pequenos, médios ou ratazanas.
“Nós éramos vistos como um país que só prendia ladrão de galinha, mas está aí, o [Sérgio] Moro não está prendendo? Então?”
Sobre o movimento nas ruas, Mão Santa lembrou que “o povo é o poder”. “E o povo está aí. O povo bota e o povo tira”, avalia.
“NINGUÉM ESTÁ LIVRE DE SER ENGANADO”
O ex-parlamentar chegou a dizer que o povo foi enganado, “mas apenas enganado”, e que pode mudar ainda os rumos do Brasil.
“Ninguém está livre de ser enganado, mas ele [povo] está aí acordado, lutando e conquistando o que é dele: a Democracia. E o povo é de Deus, é pela verdade e pela honestidade”, pontuou. (Rômulo Rocha)

Deixe uma resposta