Mesmo depois de liminar, professores mantém greve por tempo indeterminado

Mesmo depois do desembargador Francisco Paes Landim determinar, através de liminar, que 70% dos professores, em greve há mais de duas semanas, retornem à sala de aula em até 48h e ainda determinar multa diária de R$ 100 mil caso a liminar seja descumprida, os professores mantém a greve por tempo indeterminado.
A informação foi confirmada por Odeni  da Silva, presidente do Sinte-PI, que ainda informou que o sindicato não recebeu nenhuma notificação sobre a determinação do desembargador. “Até o momento não fomos notificados e a greve e toda a nossa programação será mantida”, afirma a sindicalista. 
Na manhã desta quinta-feira (03), a categoria realizará manifestação no pátio da Secretária de Educação (Seduc). A mobilização faz parte das atividades do movimento grevista que teve inicio dia 15 de fevereiro e conta com a adesão e apoio dos trabalhadores em educação.
Quanto a decisão do Governo de corte de ponto dos servidores “o gestor da escola pode cortar o ponto dos trabalhadores, porém se houver o corte do ponto e o desconto dos dias parados nos contracheques, o servidor não é obrigado a repor o(s) dias(s) cortados e descontados”, destacou o professore Kassyus Lages, diretor de comunicação do SINTE-PI.(Por Adriana Oliveira)

Deixe uma resposta