Petistas querem cargos de quem votou pelo impeachment

Secretário Merlong Solano: desabafo diante do voto contrário ao governo de deputados do PP e PSD

Revoltados com o resultado da votação do processo do impeachment na Câmara dos Deputados, os petistas querem punir os partidos e parlamentares que votaram pelo afastamento da presidente Dilma retirando-lhes os cargos ocupados nos governos Federal e do Estado. Os petistas cobram um ajuste de governo em função do resultado da votação. Essa medida pode alterar completamente a base de sustentação política do governador Wellington Dias na Assembleia Legislativa.

O governador Wellington Dias está desde a semana passada em Brasília, onde foi tratar do empréstimo de US$ 320 milhões do Banco Mundial para o Piauí, e ficou para articulação de votos na Câmara. Agora, ele pretende continuar o trabalho no Senado. Ele ainda não se posicionou sobre o assunto em nível local, mas os partidos aliados defendem que o PT espere o governador voltar a Teresina para discutir o assunto. 
O secretário de Governo, Merlong Solano, afirmou ontem que se sentiu decepcionado com a posição do PP e do PSD, especificamente em relação à deputada Iracema Portella e ao deputado Júlio César. Os dois partidos são aliados do PT no Piauí e compõem a base de sustentação política de Wellington Dias, inclusive ocupando cargos no Governo do Estado. O PP é o partido da vice-governadora Margarete Coelho. Merlong disse que falava como petista e não como secretário. 

Ele afirmou que é uma questão que não pode ser relevada e as relações com esses partidos e parlamentares estão trincadas. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (PMDB), apaziguou os ânimos, pedindo serenidade. Ele disse que esse resultado era esperado e o momento agora é de buscar o entendimento. No Piauí, Themístocles frisou que todos os deputados querem o melhor para o estado. E os deputados e os partidos têm uma boa relação com o governo. (Diário do Povo)

Deixe uma resposta