Quem mente, rouba. E quem rouba, mata!

Por: Bernardo Silva(*)
A política, desde o começo das “eras”, sempre foi temperada com demagogias, mentiras, falcatruas e etc. Mas, “nunca na história deste país” se mentiu tanto, se falcatruou tanto e se pabulou tanto quanto nesta era PT. E foi desde o começou, com a fabricação, pela mídia, de falsos ídolos e heróis de nada, que a ignorância das pessoas até hoje tenta manter vivos, querendo negar a evidência dos fatos. E contra fatos, sabemos muito bem, não existem argumentos.
“Suspeitei desde o princípio”, como diria o Chapolim Colorado, que no fim não daria certo a “quase” unanimidade que se criou em torno do governo Lula, com políticos mudando de partido como quem muda de cuecas para apoiar tal governo,  e quase todos achando que o céu havia descido à terra com a eleição de um retirante que virou metalúrgico e chegava à presidência da república. “Era a vez dos pobres, que iriam se vingar da “Zelites”…
O tempo passou e veio o “mensalão”. E vieram os primeiros escândalos, as grandes mentiras reveladas e a tentativa de salvação do mentor maior de tudo: Lula. Sim, ele sobreviveu porque o vice-mentor, José Dirceu, resolveu assumir sozinho a culpa pela execução do projeto de poder do PT. E de lá para cá todos conhecem o restante da história, embora muitos ainda queiram desculpar a roubalheira petista dizendo que corrupção e roubalheira sempre existiram. Sim, mas um erro justifica o outro? Erros existiram sim, com governantes metendo as mãos no cofre do dinheiro público, mas nunca numa dimensão tamanha.
E no Piauí? O reinado do PT também começou lá atrás, em 2003, quando da posse de Lula e Wellington Dias. E até hoje permanece, porque foram 8 anos de Wellington, 4 anos de Wilson Martins, que era seu vice e foi indicado e apoiado pelo PT; e agora mais de um ano e pouco de Wellington de novo. E os petistas do Piauí roubaram também? Os bens patrimoniais que hoje ostentam as estrelas maiores do partido são compatíveis com seus ganhos, seus salários?! São honestos os petistas do Piauí que mandam no Estado também desde 2003?
Não é justo que critiquemos o PT nacional sem olharmos para os petistas do Estado, da Parnaíba, que também mentem e mentem muito. Prometem, fazem pose de bonzinhos mas têm em suas cabeceiras os retratos de Lula e Dilma, como seus mentores e suas inspirações. Do contrário, porque insistem em permanecer neste Partido?
Nas últimas semanas estou relendo, de relance, livros como “Década Perdida”, (dez anos de PT no Poder), de Marco Antônio Villa, que me foi presenteado pelo amigo e ex-senador Mão Santa; “Assassinato de reputações (um crime de Estado), de Romeu Tuma Júnior; “Nervos de Aço”, de Roberto Jefferson, um presente do amigo e assessor parlamentar aposentado, de Brasília, Ferro Costa; além do  “Aprendiz de Feiticeiro” (de como o PT chegou ao governo do Piauí e, uma vez no poder,  meteu os pés pelas mãos), de autoria do jornalista piauiense Zózimo Tavares. Este foi um presente do meu dileto amigo Mário Rogério, diretor-proprietário da Rádio Difusora de Teresina e do Jornal “Tribuna do Litoral”.
Além disso, todos os dias acompanho nos canais de televisão o dia a dia do meu país, além de ter os conhecimentos da história que minhas profissões de professor e jornalista me obrigaram a conhecer. Digo tudo isso para afirmar que Chega de PT. Claro que não desconheço os avanços que o governo petista promoveu no país, mas avalio as coisas de uma forma mais sóbria. Progredir, melhorar, avançar, evoluir, também é uma coisa natural, obra e graça de Deus nosso Senhor. É também algo bíblico e não só dádiva de governantes do PT.
Aliás, quando Deus esteve aqui Ele nunca falou em acabar com a pobreza porque ela sempre existirá. A reencarnação explica. Mas a audácia e  arrogância dessa gente chegou ao extremo de endeusarem um reles mentiroso chamado Lula. E eu vou fazer o quê?! Apenas pedir a Deus que dê luz e bom senso para que as pessoas entendam que a eles, petistas, foi dada uma oportunidade ímpar. Não souberam aproveitar. Meteram os pés pelas mãos. Agora CHEGA! Ninguém merece.
(*)Bernardo Silva é professor, jornalista e secretário de redação do “Tribuna do Litoral”.
Fonte:jornal “Tribuna do Litoral

Deixe uma resposta