Calçãdão da Beira-Rio ganha dois puxadinho

O Calçadão Cultural da Beira-Rio, uma das maiores obras da Administração do Prefeito Florentino Neto (PT), e que segundo informações, teria custado aos cofres públicos o valor de R$ 700 mil, pelo visto ainda não foi totalmente concluída. Segundo informações que a reportagem do, Portalphb, recebeu de comerciantes do Calçadão Cultural, desde a semana passada que a Prefeitura iniciou a construção de dois “puxadinhos” no local que deveria ser construído um parque infantil. Os dois “bangalôs”, segundo consta na placa de identificação da obra, irão custar quase R$ 70 mil aos já combalidos cofres públicos.
Os proprietários de alguns estabelecimentos comerciais do Calçadão Cultural não ficaram satisfeitos com a novidade, principalmente, porque nesses dois novos estabelecimentos comerciais serão instalados dois bares e, o é que pior, não existem banheiros no projeto de construção. “Eu já estou até vendo onde às pessoas que irão frequentar esses bares irão fazer suas necessidades fisiológicas, ou será nos banheiros dos outros estabelecimentos ou vão fazer mesmo na parede, a céu aberto como acontecia quando os bares funcionavam em um trailer no inicio do Calçadão”, ressaltou um dos proprietários que preferiu não se identificar.


Na atual conjuntura de crise em que vive o país é sempre louvável que o Poder Público Municipal faça obras impactantes para alavancar o comércio, mas destruir um banco, que era muito utilizado nas sextas-feiras quando tem música ao vivo, para construir dois bares, sendo que nesse espaço deveria ser construído um parque infantil, é meio fora de questão.


Outro comerciante que tem um estabelecimento comercial em frente aos dois “puxadinhos” mostrou-se muito preocupado. Segundo ele, nas sextas-feiras e nos dias de maior movimento vai ficar praticamente inviável instalar todos os clientes e ainda sobrar espaço para que às pessoas transitem normalmente. “Estranho essa construção. Toda modificação que tentamos fazer em nossos estabelecimentos é preciso pedir a bênção do Prefeito para ser aprovado e, de uma hora pra outra somos surpreendidos com esses dois bares”, acrescentou.

Devemos levar em conta que estamos em um ano eleitoral. É de praxe. A cidade irá se transformar num canteiro de obras, mesmo que essas obras não sejam de utilidade pública. Vamos torcer para que essa tenha sido a última alteração no projeto do Calçadão Cultural, para o bem dos comerciantes e das milhares de pessoas que circulam pelo local.

Fonte: Walter Fontenele
Foto: Walter Fontenele
Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb

Deixe uma resposta