Conflito de interesses

Por:Arimatéia Azevedo

O governo do Estado está envolvido em gritante contradição: de um lado anuncia que vai deixar áreas importantes sem abertura de concursos públicos para o preenchimento dos cargos vagos, mesmo em setores importantes ou vitais, com o da Segurança e da Saúde, alegando falta de recursos financeiros e, de outro, também aponta que não poderá fazer reajustes nos salários dos servidores, alegando a penúria e escassez de dinheiro. 
Mas, causa estranheza que lance editais para licitação visando a contratação de empresas para terceirização de serviços, que custam uma verdadeira fortuna, em serviços sem qualidade, o que não deixa de ser a porta de entrada, pela via oblíqua, de apaniguados e protegidos políticos de todos os matizes. Ou seja, se a meta é economizar, a redução drástica dos terceirizados pode ser o melhor caminho. É conhecido o déficit mensal do Estado, no que diz respeito à folha de pagamentos, hoje orçado em torno de R$ 50 milhões, uma verdadeira fortuna que sangra os combalidos cofres estaduais. 
Mas, pelos exemplos postos acima, há de se ver que as escolhas têm sido equivocadas, levando a incertezas quanto a escolha do melhor caminho para viabilizar que o conjunto dos servidores tenha segurança de trabalho, o seu pagamento em dia, mas, principalmente, também sejam resguardados os direitos adquiridos, como os adicionais por tempo de serviço e as promoções. É hora de encarar o assunto com a mais absoluta seriedade e transparência.

Deixe uma resposta