ICMBio no Piauí comemora Semana do Meio Ambiente com Café da Manhã Socioambiental

Técnico Ambiental da Coordenação Regional do ICMBio, Fernando Gomes (Foto: Jornal da Parnaíba)
Num clima de simplicidade e descontração, marcado por muita música e poesia, a Coordenação Regional 5 (CR-5), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, em Parnaíba, no Piauí, promoveu nesta quarta-feira (8) Café da Manhã Socioambiental para comemorar a Semana do Meio Ambiente.
O evento serviu ainda de “esquenta” para a passagem da tocha olímpica pela cidade, em especial pela Área de Proteção Ambiental (APA) do Delta do Parnaíba, que ocorrerá na tarde de amanhã, quinta-feira, 9. Na manhã do dia seguinte, sexta, 10, a tocha estará no Parque Nacional de Sete Cidades, em Piracuruca, a pouco mais de 100 quilômetros de Parnaíba.

O Café Socioambiental, que teve início por volta das 8h30 e ocorreu no pátio da sede da CR-5, sob a sombra das árvores e à beira do rio Igaraçu, quinto braço do Delta do Parnaíba, contou com a presença de representantes dos vários segmentos da sociedade local, envolvidos com a questão ambiental.

Abrangência da CR-5
A abertura ficou por conta do mestre de cerimônias da CR-5, Fernando Gomes, técnico ambiental que fez um resumo rápido da abrangência da Coordenação, responsável pela articulação da gestão de 18 unidades de conservação (UCs) distribuídas pelos estados do Ceará, Piauí, Maranhão e Tocantins.
Na sequência, o coordenador Daniel Castro agradeceu a presença de todos – representantes de prefeituras e universidades da região, PM, Ibama, trade turístico, imprensa, gestores de projetos ambientais, usuários das UCs locais – lembrando que “é de pessoas como vocês, parceiras nossas, braços e pernas da gente”, que o ICMBio precisa para avançar nas suas ações.

Depois de afirmar que a missão conservacionista do Instituto não se contrapõe a projetos de desenvolvimento para a região, ele ressaltou o trabalho dos servidores e parceiros na proteção da rica fauna do Delta do Parnaíba – “tamanduás, peixes-boi, tartarugas marinhas e até espécies ainda não conhecidas”, listou.

“O segredo é não correr atrás das borboletas, mas cuidar dos jardins para que elas venham até eles”, prosseguiu o coordenador, citando verso do poeta gaúcho Mario Quintana, para ilustrar as atividades de fortalecimento das unidades de conservação da região realizado pelos servidores e parceiros.
(Com informações de Elmano Augusto)

Deixe uma resposta