Para Secretário de Saúde ‘Boicote de profissionais’ pode ser uma das causas de crise no HEDA

Segundo o Secretário Estadual de Saúde, Dr. Francisco de Assis de Oliveira Costa, casos de boicote para com o sistema público já foram identificados em outros hospitais estaduais e, pode estar ocorrendo em Parnaíba.
Secretário Estadual de Saúde, Dr. Francisco de Assis de Oliveira Costa
Na manhã desta quinta-feira (16), foi realizada na sede da OAB em Parnaíba, mais uma audiência pública para tratar sobre a grave crise que atravessa o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde – HEDA.
O maior hospital público da região norte do estado do Piauí,  que recebe pacientes do Piauí, Ceará e Maranhão, está passando por momentos críticos, tanto por atraso no pagamento de alguns funcionários como por falta de material para procedimentos médicos.
Reunidos em Parnaíba, autoridades da Secretaria Estadual de Saúde, (entre eles o próprio secretário) discutiram durante boa parte da manhã desta quinta-feira, sobre como solucionar os problemas que o hospital enfrenta.
Uma das possibilidades levantadas pelo Secretário Estadual de Saúde, é que, com base na reclamação de alguns pacientes e casos constatados no dia a dia do HEDA, pode estar havendo uma espécie de “boicote” por parte de alguns médicos do HEDA, para forçar os pacientes a procurarem a rede particular de clínicas e hospitais em Parnaíba.
“Infelizmente alguns pacientes no auge do desespero não denunciam essa prática, mas já temos relatos que médicos estão recomendando que os familiares de pacientes vendam bens para custear um tratamento em um hospital particular”. Revelou o Secretário Francisco Costa.
Vereador Ricardo Veras não teve seu questionamento respondido
O vereador Ricardo Veras questionou o Secretário Municipal de Saúde, sobre a data de abertura da Unidade de Pronto Atendimento de Parnaíba, para que a mesma possa auxiliar o HEDA no atendimento em Parnaíba. O Secretário David Soares, após discorrer por diversos assuntos, inclusive o já batido tratamento do câncer por um hospital particular em Parnaíba, não respondeu ao questionamento do vereador.
Secretário Municipal de Saúde David Soares não soube ser objetivo ao ser questionado
O vereador Carlson Pessoa, perguntou novamente ao Secretário David Soares sobre a data de abertura da UPA em Parnaíba, dessa vez o mesmo informou que não há uma previsão. Socorro Candeira, representante do conselho municipal de saúde, complementou sobre a UPA informando que é uma obra FEDERAL, e não MUNICIPAL, e que 80% da obra já estaria concluída, porém a algum tempo não é liberado recursos para a finalização da mesma, não tendo como determinar um prazo para sua abertura.
Assim como todos os presentes, Vereador Carlson Pessoa não ficou satisfeito sobre a resposta da data de abertura da UPA em Parnaíba
Para a representante do Conselho Municipal de Saúde, a data da UPA depende do Governo Federal
Uma reunião entre SESAPI, Secretaria Municipal de Saúde, representantes da UESPI e da UFPI, foi realizada  tarde de ontem (16). A intenção foi criar um grupo de trabalho para buscar soluções para a problemática do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde.
Diretor Geral do HEDA, Dr. Alípio, receberá questionamentos do Ministério Público em outro momento
Devido ao avançar da hora, o diretor do HEDA, Dr. Alípio não foi ouvido, porém uma série de questionamentos da Promotoria Pública, seria enviada posteriormente ao mesmo.
Após a audiência, uma visita com todos os representantes presentes foi realizada às dependências do HEDA. (Por: Bruno Santana / Tribuna de Parnaíba)

UPA: Estado desmente município
Questionado sobre a previsão para a
Unidade de Pronto Atendimento de Parnaíba (UPA) ser entregue para a população,
o secretário municipal David Soares, não citou data, mas disse que todos da
equipe dele têm trabalhado diariamente para a conclusão da obra e que já
existem recursos provenientes de emendas destinados para a aquisição de todo o
aparelhamento. Entretanto, Francisco Costa foi franco ao dizer que o governo
federal não dispõe de nenhuma verba para a UPA de Parnaíba e que a entidade não
poderá contar com o Ministério da Saúde devido a severa crise que o País
enfrenta.(Por Luzia Paula)

Deixe uma resposta