REDE Sustentabilidade e sua Plataforma para Parnaíba

Por:Fernando Gomes(*)
O Partido REDE Sustentabilidade em Parnaíba está organizando o seu Coletivo Municipal com base na construção de uma plataforma de desenvolvimento integrado para o município contemplando diretrizes das principais políticas públicas como saúde, meio ambiente, educação, infraestrutura, entre outras.
O debate institucional é o foco. Enquanto muitos partidos estão ocupados e preocupados com as alianças e as candidaturas, o REDE Sustentabilidade está construindo a sua plataforma para Parnaíba. Estas diretrizes que serão apontadas servirão de base para definição das candidaturas e até mesmo das possíveis alianças, ou seja, quem quiser candidatar-se terá que assumir os compromissos do partido conforme estabelecidos na Plataforma, bem como, a possibilidade de aliança com outras agremiações será levado em conta, especialmente, se o(s) partido(s) que deseja se coligar com o REDE compromete-se com tais diretrizes estabelecidas.
Só a intervenção na cena política (mandato) pode levar um partido a modificar a realidade de um grupo social. A missão do REDE será a de encantar os desencantados! Missão árdua em razão da crise de identidade política que vivemos em nossa cidade, em nosso Estado e no próprio país. Dos quadros atuais quem está credenciado pelo povo para substituir Wellington Dias? E aqui na Parnaíba, quem sucederá Florentino Neto?
Constata-se nos dois casos que a sociedade ressente-se de uma gestão participativa e que atenda suas demandas e que faltam líderes que expressem a desejada nova ordem política. A falência da representação é latente em todos os níveis de poder. Todos lembram que as manifestações de junho de 2013 apontavam isso. O povo nas ruas gritava para os políticos: “vocês não nos representam!”. O pior é que ninguém entendeu o recado, continuaram as mesmas práticas nada republicanas. Gestões obtusas e medíocres continuam.
Por outro lado, os partidos políticos estão falidos, poucos são orgânicos, impera o fisiologismo; estamos envolvidos por um sistema eleitoral patético e que não faz cumprir as normas, a lei da Ficha Limpa por exemplo está virando chacota (com base em liminar se registra a candidatura e depois de eleito fica difícil não reconhecer o mandato); a corrupção na gestão pública é um acinte, mesmo diante os escândalos sendo desmascarados a malandragem ainda corre solta; a corrupção eleitoral impera com os sofisticados meios de burlar a legislação… 
Parnaíba precisa reencontrar o seu trilho, o seu caminho. Somos um município soberano e independente, mas com pouca capacidade de interferir no desenvolvimento regional. Uma das cidades que mais cresce no país, livre e plural, mas com graves indicadores de violência, desigualdade e pobreza.  A expansão dos campus universitários estão transformando a cidade em um polo de ensino superior, mas não conseguimos dar educação de qualidade para nossas crianças que usam a rede pública municipal. Temos a saúde com a gestão plena, mas nos falta a capacidade de cobrir as áreas do programa de saúde da família e atender às mais básicas demandas de saúde da população. Nossos jovens se perdem no mundo alienado das drogas, prostituição e despolitização. O trânsito desordenado mata e ensina a mutilar! O transporte público caótico se apresenta com a incapacidade de ao menos respeitar o usuário. Falta gestão!
Estamos sempre atrás de respostas e não vemos o que temos de melhor: a diversidade étnico-cultural de nosso povo, o domínio sobre parte considerável da biodiversidade e de água doce, com belezas naturais sem igual cujo papel é fundamental no equilíbrio climático e no desenvolvimento científico, tecnológico e econômico da nossa região, do nosso país e do mundo.
Insistem numa concepção que não consegue transformar em estratégia de desenvolvimento nossa privilegiada condição de detentor de um patrimônio ambiental único: o delta do rio Parnaíba.
É significativo que as instituições políticas e os sucessivos governos, nas últimas décadas, não tenham absorvido e dado relevo ao papel crucial da sustentabilidade ambiental dentro do processo de desenvolvimento. Uma das peças-chave para uma correção de rumos está no sistema político e sua estreita relação com o modelo de desenvolvimento. Basta, para isso, ver quais são os principais doadores de campanha, as licitações feitas e os cargos distribuídos graciosamente que, com frequência, fortalecem os valores que se contrapõem ao desenvolvimento sustentável, à ética, à justiça social, ao aprofundamento da democracia e aos princípios civilizatórios básicos.
Em Parnaíba são graves os problemas relacionados ao desgaste e ao descrédito da política, dos políticos e do sistema de representação, sobretudo porque afastam grande parcela da sociedade das decisões públicas, quando não a leva ao alheamento e total indiferença às decisões políticas. Permanecem hegemônicas as velhas práticas que vêm do colonialismo, do populismo, do racismo, do totalitarismo e outras formas de dominação e corrupção que ainda configuram uma cultura arraigada e difícil de mudar. O processo de construção da nossa democracia ainda está incompleto. É preciso participação e controle social!
O que virá nesta eleição de 2016 dependerá do que formos capazes de criar e produzir, de inventar e distribuir, a partir deste encontro de sonhos e épocas, de gerações e destinos.  Não temos respostas prontas, mas temos certeza de que este é o caminho que queremos percorrer para construir respostas às indagações do presente e do futuro da Parnaíba! Você tem o poder, saiba usá-lo!!!
(*) Fernando Gomes, sociólogo, eleitor, cidadão e contribuinte parnaibano.

Deixe uma resposta