ESTADO TENTA RECUPERAR PARTE DE SALÁRIOS PAGOS A FALECIDOS

MAIS DE R$ 17 MILHÕES FORAM PAGOS PARA FUNCIONÁRIOS QUE JÁ HAVIAM MORRIDO
 Franzé lamenta erro de dados e diz que Estado correrá atrás do prejuízo.
A falta de atenção com a folha de pagamento dos servidores do Estado fez com que fossem pagos mais de R$ 17 milhões a servidores que já morreram. A esperança agora do secretário de Administração e Previdência, Franzé Silva, é recuperar pelo menos uma parte desse dinheiro. Desde 2005 não havia cruzamento de dados da folha com o Sistema de Óbitos, o que causou o problema. Ofícios enviados ao Banco do Brasil já conseguiram recuperar parte do dinheiro, que não havia sido sacado das contas.
“Já solicitamos ao Banco do Brasil, das contas que não foram movimentadas, o retorno para a conta única do Estado. Já retornou cerca de R$ 810.000 que estava lá. Agora estamos levantando o restante e encaminhando ofício ao Banco do Brasil. Com relação às contas que foram sacadas indevidamente, nós estamos encaminhando para a Procuradoria Geral do Estado a relação das contas, dos nomes dos servidores, o período onde houve a ilegalidade, pedindo que sejam tomadas medidas cabíveis”, afirma o secretário.
Para evitar que o problema volte a se repetir, o secretário garante que a partir de agora, deverá ser rotina o cruzamento de dados. “A partir de agora a gente está fazendo o cruzamento contínuo da folha de pagamento com o sistema de óbito. Cruzando dados para que o Estado não venha perder em um momento difícil”, pontua. (Lídia Brito)

Deixe uma resposta