Sobre ‘fogo amigo’ e jararacas

O deputado Heráclito Fortes disputa a presidência da Câmara e um colega piauiense está entre seus concorrentes

O deputado federal Heráclito Fortes (PSB) está em campanha pela presidência da Câmara Federal, na vaga aberta com a renúncia do ex-presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O piauiense conta com o apoio do seu partido e já há lideranças e legendas anunciando a disposição de apoiá-lo. “A renúncia de Eduardo Cunha abriu a possibilidade de realização de nova eleição e meu nome foi citado por vários colegas deputados e lideranças partidárias. Para mim é uma honra merecer este reconhecimento dos colegas, e, em razão disso, minha candidatura está posta”, declarou o parlamentar.
Não há dúvidas de que o nome de Heráclito é de peso e quem conhece e acompanha sua trajetória política sabe que a disputa com ele, além de força, reúne também inteligência e articulação política. São elementos que ele tem de sobra e que os próprios amigos e adversários políticos reconhecem. Talvez por isso, as manifestações de apoio que chegam a Heráclito e são ventiladas pelos corredores do Congresso sejam também uma faca de dois gumes ou, para bom entendedor, o velho conhecido “fogo amigo”, cuja finalidade é provocar reações no PT e no ex-presidente Lula que, todos sabem, são inimigos declarados do deputado piauiense.
 E aí está a ironia. Se na campanha de Eduardo Cunha, o PT interveio com seu apoio porque achava que teria um aliado e o que se revelou depois foi que estavam criando “um monstro”, nesta eleição excepcional o PT tem certeza que Heráclito na Presidência será um adversário de respeito. Não é de se estranhar, portanto, que PT, Lula, Dilma e sua tribo já estejam cercando aliados e se movimentando, na tentativa de impedir que o deputado piauiense chegue à presidência da Câmara.
A preferência desse grupo é por um candidato maleável e que possa atender aos seus interesses.A primeira movimentação neste sentido abarca, nessa perspectiva, a candidatura do também piauiense, deputado Marcelo Castro (PMDB), ex-ministro da Saúde de Dilma Rousseff, que conta com o apoio do PT e procura se viabilizar dentro do seu partido.

Mas a questão é a seguinte: se Heráclito tem o chamado ‘fogo amigo’ como inimigo nestas eleições – e isso ele sabe e já está se defendendo – os outros candidatos devem se preocupar é com as jararacas que estão à espreita, tocando o chocalho da ilusão e das promessas petistas. O bote está armado e, num descuido, a picada é certa!(Por:Zózimo Tavares)

Deixe uma resposta