Salários no STM: país rico é outra coisa

Ricardo Boechat – IstoÉ
Em meio ao debate sobre a reforma da Previdência Social Pública, diante das dificuldades econômicas do País, contracheques de ministros aposentados do Superior Tribunal Militar causam indignação. Um general de Exército foi confortavelmente aquinhoado com um contracheque líquido de R$ 198.329,24 em janeiro. A mesma folha exibe outro ministro, no mesmo mês, com rendimento de R$ 87.189,67, já com abatimentos. A lista de remuneração de dezembro também não foge desse cenário, contracheques sem descontos nas nuvens: R$ 190.524,61; diversos favorecidos com R$ 152.419,69; R$ 124.335,37; R$ 112.131,61; repetidos R$ 87.189,67; R$ 24.335,37 etc. O STJ julga em média dois mil processos por mês.
O sexto processo no âmbito da Lava Jato no Rio de Janeiro, em que Sérgio Cabral virou réu, diz respeito à acusação de que o ex-governador fluminense comandou um cartel com empreiteiras que teria fraudado licitações e superfaturado as obras de reforma do Maracanã e do PAC das Favelas. De todos os envolvidos, até o momento, apenas a Andrade Gutierrez acertou os ponteiros com o Cade. As punições do órgão não livra a empresa e indivíduos de punições na esfera criminal

Deixe uma resposta