Família no sertão leva 36 dias por ano procurando água para consumo humano

Levantamento da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) constatou que o sertanejo perde 36 dias por ano em busca de água. O dado estarrecedor foi apresentado por geólogos da CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais) durante audiência realizada hoje (5) na Justiça Federal. A reunião foi para tratar sobre a adutora do Sertão, que tem o finalidade de levar água as famílias do semiárido. 
Hoje, o governador Wellington Dias anunciou que irá decretar racionamento de água em 40 municípios do Estado, devido o baixo índice de água nas barragens e reservatórios. 
Francisco Lages, geólogo e assessor da diretoria da CPRM, revelou o dado na audiência da Justiça Federal e garantiu que existem famílias no Piauí que passam mais que 36 dias por ano em busca de água. A informação chocou também a juíza Marina Cavalcanti, que presidia a audiência. 
“No semiárido do Piauí na região de Pio IX e São Raimundo Nonato as famílias levam mais tempo. Muitos deles caminham até 7km todo dia em busca de água para o consumo humano”, disse o geólogo.  
Comércio clandestino de carro-pipa
O promotor do Meio Ambiente da região de São Raimundo Nonato,  Vando da Silva Marques denunciou hoje a existência de comércio clandestino de carro-pipa na região do semiárido do Piauí. 
Durante audiência que tratou sobre a construção da adutora do Sertão, o promotor informou a que a população está pagando de R$ 200,00 a R$ 300 por carrada de água – equivalente a 9 mil litros de água.
“Em alguns períodos em que a operação carro-pipa não contempla regiões, tendo até a suspensão da atividade, o que ocorre é comercio clandestino de água por parte de alguns pipeiros que acabam fornecendo água particular para algumas comunidades que estão sem abastecimento de água”, informou o promotor. 
Vando Marques defendeu a construção da adutora que irá beneficiar mais de 50 municípios que sofrem com a escassez de água.(Flash Yala Sena)

Deixe uma resposta