Realizado na FIEPI lançamento de livro de autoria do prefeito Mão Santa

Na tarde desta sexta-feira (13), no Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) e com a presença de familiares, amigos e políticos, o prefeito de Parnaíba, Francisco de Assis de Moraes Souza (Mão Santa), lançou, oficialmente  seu livro denominado, “Para Daniela, após o seu casamento, carta do pai Francisco”.
O Secretário da Chefia de Gabinete da prefeitura, professor Israel José Nunes Correia, abriu a cerimônia lendo um poema escrito pela D. Jeanete de Moraes Souza, ao seu filho, Francisco de Assis de Moraes Sousa, quando este ainda era uma criança. “Fui ao meu padroeiro e pedi para que ele fizesse de ti um instrumento de paz, de misericórdia e de perdão. Passei minha vida dando-te exemplo de pobreza, de bondade, de ternura e de compreensão”, escreveu Jeanete de Moraes Souza.  
O ex-governador e Presidente da Federação das Indústrias do estado do Piauí – (Zé Filho), fez um relato emocionado sobre sua família, relembrando o seu tempo de criança e a convivência com entes queridos. “Quero pedir permissão a você, Mão Santa, para não falar do prefeito ou do médico, mas do cidadão. Meu tio tem uma história que a Parnaíba e o Piauí reconhecem. Quero falar do homem, Francisco de Assis de Moraes Souza e da família, de tudo que nós passamos nesses muitos anos de luta em Parnaíba. Não foi fácil, Mão Santa, chegar aonde chegamos. Foram muitas lutas que a família Moraes Souza passou ao longo desse tempo todo. Lembro das brigas que você e o seu irmão, Antônio José de Moraes Souza, tiveram com a policia, quando invadiram a Rádio Igaraçu e que, apesar de desavenças, a família sempre esteve junta, nas muitas derrotas e nas vitórias”, disse Zé Filho.
Após a fala do anfitrião, Zé Filho e de outros convidados, o prefeito Francisco de Assis de Moraes Souza também relembrou grandes vultos de sua família, que fizeram a história de sucesso da Parnaíba. Fez também questão de se lembrar da carta que escreveu para sua filha, Daniela, em Buenos Aires, logo após o seu casamento e que foi a culminância para elaboração desse livreto.
“Após o casamento de Daniela, eu e Adalgisa fomos passear em Buenos Aires, hospedando-nos no mesmo hotel que meu pai e minha mãe ficavam quando viajavam para a capital da Argentina. Tenho um problema de insônia. Enquanto Adalgisa dormia eu resolvi escrever uma carta para Daniela, minha filha, para falar, principalmente, do amor. Daniela, siga o exemplo da sua mãe, Adalgisa, e fará do Breno, um homem amado e feliz”, pontuou, Mão Santa.
Ao final dos pronunciamentos foi oferecido um coquetel no American Bar da Federação das Indústrias do estado do Piauí, onde Mão Santa autografou exemplares do livro aos presentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *