Governo Wellington Dias gasta dinheiro para vender o que ninguém quer comprar

Cuma?
A empresa Avançar Consultoria foi contratada pelo governo do Piauí para “assessorar o Governo do Estado do Piauí na execução e desenvolvimento de alternativas viáveis para tentar fazer com que o Estado do Piauí receba um dinheiro extra quando e se a Eletrobrás Piaui for vendida.
O risco
O contrato é de risco, quer dizer, a empresa só vai conseguir dinheiro se obtiver as “alternativas viáveis à percepção de novos recursos”, ou seja, só se achar meios legais de fazer a União (Eletrobras) pagar mais pela Cepisa.
Quanto?
Essa remuneração provável dos honorários “ad exitum” (ou seja, só se tiver sucesso) correspondente 5% sobre o proveito econômico obtido pelo Estado do Piauí.
Uma bolada
Nas contas do governo, a União ainda deve R$ 800 milhões pela companhia, federalizada no governo Mão Santa (1997-2001). Cinco por cento desse valor é a fortuna de R$ 40 milhões.
Difícil 
A venda da Cepisa ou Eletrobras Piauí é bem difícil. Trata-se de um ativo podre. A chance é de vender a operação, não a empresa.
Como? 
Do mesmo modo como foi feita a privatização, aqui apelidada de subconcessão, do sistema de águas e saneamento de Teresina: vende-se o filé e se deixa o contrapeso onde ele sempre esteve: nas costas do Estado.(Portalaz)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *