Prefeito Mão Santa comparece ao Poder Legislativo pelo 2º ano para prestar contas aos vereadores

Apesar de possuir o direito de enviar um representante, o prefeito de Parnaíba, Mão Santa, preferiu comparecer, ele mesmo, à Câmara Municipal, na noite da última sexta-feira (2), a fim de prestar contas aos vereadores, no que tange às realizações de sua administração, ao longo do ano de 2017, abrindo, assim, o ano legislativo de 2018, conforme determina o regimento interno da casa. Acompanhavam o prefeito, a primeira dama e secretária do desenvolvimento social e cidadania (Sedesc) Adalgisa Moraes Souza; a deputada estadual Juliana Moraes Souza, além de secretários, superintendentes e outros membros da equipe de governo.
“Percorri uma estrada amarga, em 2017. Acostumado aos grandes embates, não esmoreci, mesmo diante das dificuldades financeiras. Ninguém pode dizer que aproveitei as ações do governo para perseguir ou privilegiar. O governo não pode e nem deve conceder privilégios, sob pena de ver naufragar o desejo de justiça social”, disse o prefeito, ao iniciar a leitura do resumo das ações de cada secretaria e superintendência.
“O que preocupa a mim e à Adalgisa é a aflitiva condição de vida de crianças e adolescentes que perambulam pelas ruas”, destacou o prefeito, acrescentando: “O nosso governo pode ser denominado o governo da reconstrução, porque o retrato da cidade que encontramos era o de terra arrasada”.
O prefeito falou também das dificuldades encontradas, citando como exemplo a situação do IPMP (Instituto de Previdência), que ainda tem dificuldades de pagar inativos. Ele disse ainda que, logo ao assumir, teve que ir ao Tribunal de Justiça para poder começar as ações do ano de 2017. “Eram tantas dívidas, tanta corrupção que tivermos que ir ao presidente do Tribunal de Justiça para fazer um acordo. E desde o início do nosso governo pagamos 100 mil reais por mês, de precatórios, contas atrasadas. E o caso é tão sério que, no final do ano, nosso secretário de fazenda esqueceu de pagar 2 dias, foi o suficiente para bloquearem todas as contas da prefeitura, mas pudemos contar com a ajuda de um amigo para solucionar o problema”, lembrou.
Antes de iniciar seu pronunciamento, o prefeito Mão Santa pediu a todos os presentes que fizessem um minuto de silêncio em memória do assessor parlamentar da Câmara, Osmar Dias, falecido no mês passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *