Conjugando o mundo como ele é

Carlos Brickmann
“Eu roubei, tu roubaste, ele roubou; nós roubamos, vós roubastes, ele roubaram”. Ou “Eu roubo, tu roubas (…)” Ou, quem sabe, “roubarei, roubarás”. O problema é que os políticos que surgiram prometendo que seriam diferentes hoje lutam para provar que são iguais aos bandidos que iriam combater. Não fazem nada de diferente, dizem: roubam como todos.

Já Fausto Silva raramente fala da situação nacional, Mas, quando fala, é um tiro de canhão. No ultimo domingo, enquanto Fernanda Torres falava sobre a violência no Rio, Faustão tomou a palavra e bateu duro. Disse que a violência ocorre no país inteiro, mas o poder público é corrupto e incompetente e não consegue transmitir ao povo nem a necessidade da reforma da previdência.
E prometeu não cantar mais o hino de fim de ano da Globo. “Hoje é um novo dia coisa nenhuma. O Brasil é o único lugar do mundo que o Governo não faz nada por você. Ele rouba você”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *