DISSE QUE NÃO SE ARREPENDE:Elisa Prado fala motivo que a fez comemorar morte do Delegado Jorginho

Elisa Prado, irmã do delegado Mamede Rodrigues, que usou um comentário no Facebook para comemorar a morte do Delegado Jorginho, entrou em contato com o 180 e falou sobre um suposto atrito entre os dois, que fez com que  desejasse que ele fosse recebido por ‘Satanás’ após saber do seu falecimento

O Delegado Jorginho morreu na manhã desta quarta-feira (14/03) após sofrer um infarto fulminante em seu apartamento, na Zona Leste de Teresina. Sua morte causou grande comoção na capital por ser muito combativo contra  a criminalidade, além de ser uma figura do humor e da música.
Elisa afirmou que não se arrepende da postagem, mas apagou em respeito aos seus filhos após a repercussão do caso. “No momento que me deram a notícia, agi por impulso, não pensei nos meus filhos, não pensei em nada, pensei só em dizer aquilo ali que eu disse com ele. Pelos meus filhos eu tirei, mas por mim eu não teria tirado, eu teria dito era mais com ele, mas eu atendi meus filhos”.
BRIGA EM DELEGACIA
Segundo ela, o atrito entre os dois aconteceu quando ela foi presa e em depoimento na Delegacia do Idoso, Jorginho teria entrado na sala, foi quando a confusão começou.
“Eu estava prestando meu depoimento quando ele entrou para falar com o delegado. Ele foi logo dizendo ‘ai e tu tá é aqui vagabunda’, eu estranhei, começou a falar coisas comigo, me humilhar. Eu disse que ele nem era delegado daquela delegacia, quando eu disse isso, ele veio para cima de mim, pegou um cassetete que tinha em cima da mesa para me bater, ai eu ainda segurei o cassetete, o delegado interviu e pediu que ele saísse da sala. Tudo isso me veio à mente, por isso não pensei em ninguém e em nada, agi por impulso, na época ele veio para cima de mim, para me agredir, esculhambou a minha mãe, chamou minha mãe de vagabunda, tudo isso ele fez, eu lembrei disso ai, postei aquilo ali, não pensei no momento, não pensei na família dele, não pensei em nada, só pensei nisso: o dia dele chegou”, disse.
PRISÃO DE ELISA EM 2014
Elisa foi presa em 2014 sob a suspeita de tentar aplicar um golpe de R$ 19 mil em uma financeira, localizada no Centro de Teresina. Ela teria usado documentos falsos para tentar fazer um empréstimo no nome de uma servidora. Ainda hoje ela responde pelo crime. Elisa atualmente é servidora do Governo do Piauí. (180Graus)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *