Margarete fala em “armadilhas” e tentativas de tirá-la da chapa

Vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho (PP-Piauí)
A disputa pela vaga de vice na chapa do governador Wellington Dias (PT) promete ser acirrada e já começaram as trocas de farpas. Neste final de semana, a vice-governadora Margarete Coelho (PP) engrossou o tom no seu discurso de paz e amor e usou palavras rígidas contra os adversários.
Ao discursar ao lado do presidente do PT no Piauí, ela falou de “armadilhas” e disse que estão tentando tirá-la da chapa majoritária.
“Estão buscando armadilhas. São tantas armadilhas. Não podemos nos desunir. Queremos seguir juntos. Quando não querem tirar na bala querem retirar no tapetão como fizeram com a prefeita Wilma aqui em Esperantina. Querem nos retirar das chapas. Mas está difícil. O gênio saiu da garrafa. É muito difícil enfiar ele lá dentro de novo”, afirmou.
Essa eleição tem sido marcada pela disputa pela vaga de vice. E o motivo é a possibilidade clara do vice de hoje se tornar governador em 2022.
A expectativa entre os partidos aliados é que se Wellington Dias for reeleito, ele saia do cargo para disputar o Senado em 2022. Sendo assim, o vice assumirá o comando do Palácio de Karnak.
O discurso de Margarete se tornou mais simbólico por ocorrer em Esperantina, terra do presidente da Assembleia, deputado Themistocles Filho (MDB). O emedebista está na disputa pela vaga de vice.
Outro ponto a ser observado no discurso de Margarete Coelho é que ela faz referência à disputa em Esperantina. A atual prefeita Wilma Amorim (PT) assumiu o cargo depois de derrotar o irmão de Themistocles, o ex-deputado Marllos Sampaio.
Os aplausos de petistas como Assis Carvalho tem um peso importante na disputa. Margarete e Themistocles disputam a simpatia dos petistas. Quem tiver mais força política levará a vaga. A decisão final caberá ao governador Wellington Dias.(Jornaldacidade)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *