Ministério do Turismo notifica hotéis em Teresina por irregularidades

Foto: Ministério do Turismo Foto: Ministério do Turismo
O Ministério do Turismo (MTur) notificou 30 locais de hospedagem de Teresina por não apresentarem o Cadastur, como determina a Lei do Turismo, durante a Operação Verão Legal realizada em fevereiro. A capital piauiense foi a oitava a ser visitada pelos fiscais que, até abril, percorrerão todas as capitais do país.
O objetivo inicial é orientar os prestadores de serviço sobre a importância de estar com o registro junto ao Ministério do Turismo em dia.
“A abordagem é muito amigável, a gente não está se apresentando de forma a coagir. A ideia é sensibilizar os prestadores de serviços turísticos, em especial os meios de hospedagem, para a realização do cadastro, que é obrigatório pela Lei Geral do Turismo”, explica a fiscal Juliana Oliveira.
Os empreendimentos visitados terão um prazo de 30 dias para a regularização no Cadastur. Caso não ocorra o registro, o prestador será autuado e poderá ser penalizado com uma multa que pode chegar a R$ 854 mil.
“Deixamos um auto de notificação prévia em todos os estabelecimentos, com prazo de 30 dias para fazerem o cadastro. A gente vai acompanhar os processos e se o prestador não se regularizar aplicaremos as penalidades previstas em Lei”, afirma Luziane Barros, fiscal do MTur.
Iniciado em setembro do ano passado, o trabalho tem surtido efeito nos números do Cadastur. Em dezembro de 2017, foram identificados 64.591 cadastros, um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior. No Piauí, 44 meios de hospedagem estão regulares no Cadastur.
“O cadastro hoje está totalmente informatizado. Estamos integrados com a base de dados da Receita Federal e isso simplificou muito. Não é necessário deslocamento dos prestadores de serviços nem apresentação de documentos no órgão estadual”, explica Luziane Barros. (Portalaz)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *