Ministro Barroso fala de corrupção mas não faz nada para combater

    Roberto Barroso fala mas não convence piauienses
Convidado pelo TCE – Tribunal de Contas do Estado do Piauí para fazer uma palestra sobre combate à corrupção, no I Simpósio de Inteligência Institucional, o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, falou sobre a origem da corrupção, seu impacto e relembrou fatos históricos, mas se esqueceu de dizer o que está fazendo para combatê-la.
No Piauí, o que ele achou mais atrativo foi o almoço servido em hotel granfino da cidade, regado a vinho importado. Falou, falou, mas o que era mesmo para dizer ficou apenas nas insinuações. Para uma plateia de incautos observadores, o ministro conteve-se a contar causos da sua trajetória nas confortáveis cadeiras do STF, a arregaçar as mangas da camisa contra a bandidagem que toma conta do país.
Barroso que é o relator do pedido de abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer, por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro, não disse por que o processo anda a passos de tartaruga e não falou do caso, limitou-se apenas a vociferar frases de efeito como: “Um país que vai mudando sua jurisprudência, em função do réu, não é um estado de direito, é um estado de compadrio e é preciso denunciar isso”…
“Um direito penal como aconteceu no Brasil, incapaz de alcançar qualquer pessoa que ganhe mais que cinco salários mínimos criou um pais de ricos delinquentes, de gente que vive de corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, fraude em licitações e lavagem de dinheiro”.
“Dez anos após o mensalão e três anos da operação Lava Jato essa gente continua fazendo as mesmas coisas. São ladrões compulsivos”… – E por que você, ministro, que está em lugar privilegiado para tal combate, não se insurge para acabar com esse estado de miséria? (Jornaldacidade)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *