Piauí excede limite da lei fiscal e gasta R$ 252 milhões a mais com pessoal em 2017

O Palácio de Karnak, sede do Governo do Piauí, em Teresina
O Palácio de Karnak, sede do Governo do Piauí, em Teresina
Por Cláudio Barros
O Governo do Piauí gastou no ano passado, em valores brutos, R$ 5,875 bilhões com pagamento de salários, e proventos a servidores ativos, inativos e pensionistas.
O valor líquido, ou seja, aquele que vai para a mão do pessoal pago pelo Estado, somou R$ 4.572.353.797,89.
Em valores exatos, o total de folha de pagamentos foi de R$ 5.875.958.000,03.
Os servidores em atividade custaram R$ 4.265.626.479,09.
Inativos e pensionistas, R$ 1.574.568.865,87.
O valor líquido gasto com pessoal correspondeu a 57,16% das receitas correntes liquidas apuradas em 2017, que somaram R$ 7.999.757.939,63. Essas receitas são o somatório de tributos, transferências da União e financiamentos.
O Estado deveria ter gasto bem menos que isso. O limite dos gastos com pessoal, somando-se todos os servidores – do Executivo, Judiciário, Legislativo (inclui Tribunal de Contas) e Ministério Público – deveria ser de 54% das receitas correntes líquidas.
Isso significa que em 2017, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, o limite a maior de 3,16% representou um gasto a mais de R$ 253 milhões.
Os dados referentes aos gastos e limites com a folha de pessoal do Estado foram publicados no Diário Oficial do Piauí, em sua edição de quinta-feira, 1 de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *