Representatividade feminina ainda é baixa na polícia e na política

GABRIEL SOARES
DE TERESINA

O estudo Estatísticas de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), demonstrou que as mulheres são sub-representadas em diversas áreas, como na vida política, cargos gerenciais, cargos públicos, privados e em instituições policiais.No Piauí, apenas quatro mulheres ocupam cadeiras na Assembleia Legislativa: Flora Izabel (PT), Juliana Moraes Souza (MDB), Liziê Coelho (PTB) e a deputada Belê Medeiros (PP). Há ainda a participação feminina no executivo estadual, com a vice-governadora Margarete Coelho (PP), mas até agora não houve nenhuma mulher eleita para o cargo de Governadora.Na Câmara Municipal de Teresina, quatro mulheres ocupam o cargo de vereadoras municipais: Cida Santiago (PHS), Graça Amorim (PMB), Teresa Brito (PV) e Teresinha Medeiros (PSL). Mas nenhuma mulher foi eleita como prefeita.No Congresso Nacional, há duas mulheres representando o Piauí: a deputada federal Iracema Portela (PP) e a senadora Regina Sousa (PT), que entrou como suplente do Governador Wellington Dias.A pesquisadora do IBGE Luana Botelho diz que o Brasil está mal posicionado no ranking de países que informaram a participação de mulheres em exercício em suas câmaras de deputados. Em dezembro de 2017, o Brasil ficou no 152ª lugar entre 190 países, com 10,5%.Ela ainda destacou que a participação feminina no Brasil é reduzida nos cargos ministeriais. Em 13 de dezembro do ano passado, dos 28 cargos, apenas dois eram ocupados por mulheres.Na comparação mundial, o país esteve atrás de nações com histórico de violência contra a mulher. Luana definiu como grave a situação do Brasil, que teve o pior resultado entre os países sul-americanos.

  •  Apenas 8,4% do efetivo das polícias civil e militar no Piauí é composto por mulheres.
  • Polícia
  • No Piauí, a participação das mulheres nas Polícias Civil e Militar corresponde a 8,4% do efetivo ativo. No Brasil, 13,4% do efetivo ativo das polícias são de mulheres. Os dados são da Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic). Somente na Civil, a proporção de mulheres atingia 26,4%. Na Militar, apenas 9,8% da corporação era formada por mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *