Trilha do batom

Por:Benedito Gomes (*)
Sabe o que é? Acredito que não, mas é fácil: qual a homenagem mundial que é comemorada no dia oito de março de cada ano? Dia internacional da mulher! Quem faz uso do batom para deixar seus lábios mais lindos, atraentes e desejáveis? A mulher!
Usando as palavras mulher, trilha e batom fica claro, são mulheres jipeiras, acostumadas a pilotar máquinas possantes por trilhas, atravessando lamaçal, riachos, igarapés, areal, enfim o chamado “OFF ROAD”, ou fora de estrada.
Como surgiu então esta ideia tão bonita de homenagear estas mulheres que pilotam jeeps e picapes? É criação de Club dos Jipeiros – o Jeep Club do Piauí, que foi fundado no dia 30 de Junho de 1995. É a primeira associação esportiva de off road do estado do Piauí. Com sua criação foram surgindo ideias para manter sempre o clube em atividade. Colocamos em prática as ideias que criamos e também copiamos as de clubes de outros estados, como é o caso da Trilha do Batom.
Como e por que Trilha do Batom? Durante o ano os jipeiros de todo o Brasil se reúnem às quintas-feiras em algum lugar para tratar de assuntos diversos e as mulheres marcam presença, sempre com ideias positivas. Participam mas pouco dirigem os veículos. Surgiu então a ideia de uma trilha onde os homens vão como passageiros e as mulheres pilotando as máquinas por trilhas de difíceis manobras em terrenos acidentados. Quase tudo no percurso é decidido pelas jipeiras, dai o nome “Trilha do Batom”.
Este ano realizamos a Terceira Trilha do Batom, com mais de trinta veículos e quase oitenta pessoas. O ponto de partida foi na concessionária Jeep, ali na BR 343, onde nos foi oferecido um “café cinco estrelas”, atendimento vip, por pessoas gentis e atenciosas. Dali seguimos em comboio até a Lagoa da Prata onde encontramos algumas dificuldades, em forma de atoleiros. Mas as motoristas não tomaram conhecimento e passaram com desenvoltura. 
Cruzamos os Tabuleiros Litorâneos, atravessamos a Br 343, seguimos por estradas de terra, saímos do asfalto perto de Bom Princípio do Piauí, onde chegamos às 14 horas. Fizemos uma parada técnica, comemos alguma coisa e
bebemos água. Após quarenta minutos seguimos em frente e, às dezesseis horas, chegamos no povoado Capoeira, onde foi realizado o “Velo Batom”, ou seja, um rally de oitocentos metros onde as jipeiras mostraram competência e habilidade. Ninguém perdeu e todas foram vencedoras. Não era competição, era apenas uma prova de beleza e homenagens.
Seguimos em frente e chegamos na bandeirada final. O local escolhido foi o restaurante do Sesi, na Lago do Portinho, onde fomos muito bem recebidos. Ficamos até às 19 horas e voltamos para Parnaíba todos alegres e felizes depois de mais um dia de “Companheirismo e Aventura”.
(*)Benedito Gomes
Contador UFPI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *