O quinto dia de paralisação e protestos de caminhoneiros

No quinto dia de manifestações, há caminhões parados no Amapá, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Na noite de quinta, o governo federal anunciou uma proposta para suspender a greve por 15 dias, após uma reunião de mais de seis horas com representantes de entidades de caminhoneiros.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) assumem os compromissos de zerar o Cide e fazer com que a Petrobrás mantenha a redução de 10% no valor do diesel nas refinarias durante 30 dias.

Reflexos da greve:A paralisação dos caminhoneiros acentua seus impactos na economia. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) informou que, a partir desta sexta-feira, todas as linhas de produção instaladas no Brasil estão paradas. A indústria automobilística gera de impostos mais de R$ 250 milhões por dia e, por iss0, a paralisação terá forte impacto na arrecadação do país.

Fonte:Agência do Brasil.valor.

Deixe uma resposta