História de um menino humilde que chega a Capitão de Corveta em sua terra natal

História de um menino humilde que começou a Carreira Militar como Aprendiz-Marinheiro e chega ao Posto de Capitão de Corveta para Assumir, o Cargo de Ajudante do Capitão dos Portos do Piauí, em sua terra natal.

No passado, um era menino de origem humilde. Os seus pais, em memória são: Enoque Gonçalves de Moraes e Maria do Livramento Vitorino, para sobrevivência da família e as dificuldades da vida no interior, a luta foi grande com roças, quitanda e olaria na comunidade de Cadoz, município de Buriti dos Lopes. Tem dois irmãos: Deuzamir Moraes e o irmão adotivo, Antônio de Pádua. Começou estudar na cidade de Parnaíba com 11 anos de idade, na Capelinha de São Francisco, localizado no Bairro Guarita. 

Hoje, aquele menino é o Sr Deusmar Santos de Moraes, Capitão de Corveta, Ajudante da Capitania dos Portos do Piauí. A segunda autoridade da Marinha no seu Estado. Ele disse que para chegar aonde chegou, não teve medo de vencer as dificuldades, mas sempre encarou as coisas com muita disciplina para alcançar seus objetivos.

A decisão para entrar para Marinha aconteceu no ano de 1980, quando estava no período de alistamento militar. “Estava chegando na época de se alistar, já com 17 anos, e não queria ir só fazer o Tiro de Guerra. Ele queria servir e defender a Pátria e começou a pesquisar. Como tinha o desejo de servir nas Forças Armadas, havia uma preferência pela Aeronáutica”, disse Deusmar, acrescentando que na época procurou algumas informações junto ao aeroporto da cidade, no entanto, foi informado de que qualquer inscrição para entrar na aeronáutica deveria procurar a Base em Fortaleza ou de Belém.

“Eu não tinha condição de ir para nenhuma destas cidades e nesta época eu ainda, estava fazendo 6º serie do Supletivo, do antigo ginásio, na Unidade Escolar Cândido Oliveira. Foi quando conheci o Cabo Nonato que era desta Capitania, e estava estudando na mesma sala, pois precisava concluir o ginásio para fazer provas para Sargento. Foi bom que ele ficou na minha sala e começamos a conversar, ele falou sobre as oportunidades para entrar na Marinha e disse que as inscrições para Aprendiz de Marinheiro, estavam abertas. E explicou que ser Aprendiz-Marinheiro era como fosse tipo: um soldado aprendiz e que depois se forma em soldado”, assim ele relatou.

Ele expressou a sua primeira decepção, que foi quando o Cabo da Marinha falou que ele, não teria condições de passar na prova com os conhecimentos de 6º serie do supletivo. Mas conversando com alguns amigos (Kaiko e Titico) que já tinham realizado a prova anteriormente; e alguns que desejavam fazer os testes. Resolveram criar um grupo de estudo. Ele desistiu do colégio e começou a estudar em grupo. Esse grupo era um total de 5 garotos, desses 3 foram aprovados, com muita determinação e muito estudos, dando o pontapé inicial na carreira militar, quando foi para Escola de Aprendizes Marinheiros do Ceará”, contou, com muita emoção e vibração de um menino.

Segundo contou, Deusmar passou 26 anos servindo na região do Rio de Janeiro, em navios e Organizações Militares. Mas ele tinha outro sonho que estava guardado por muito tempo: “sonhava em trabalhar como Oficial, na Escola de Aprendizes que lhe formou a Marinheiro e justamente no Corpo de Alunos. Então esse sonho se tornou realidade e assim, ele vem para Fortaleza. Só de imaginar que foi aluno, e agora chegava como Oficial e, encarregado de divisão de alunos a emoção tomava e seu orgulho só aumentava…. não tinha tamanho. Depois foi Chefe do Departamento de Alunos, Chefe do Departamento de Ensino dos alunos e, por último, antes de vir para Capitania, foi Assessor de Ensino do Comandante da Escola de Aprendiz”, frisou.

Escolher e tomar decisões na hora certa foi o que Deusmar mais fez. Saiu uma nota pedindo voluntários em (Bono) Boletim de Notícias, Sistema de Comunicação interno da Marinha de que informa todas as notícias vinculadas a Marinha. Então, dentre ás notícias saiu que a Capitania dos Portos do Piauí estava precisando de ajudante para trabalhar junto ao Capitão dos Portos. A concorrência era grande, mas, mesmo assim, ele disponibilizou seu nome para concorrer essa vaga.

Capitão dos Portos, Dante; Presidente da Câmara Municipal –o vereador José Geraldo Alencar filho; Deusmar Santos de Moraes, Capitão de Corveta.

Informou que já conhecia o Comandante Dante, pois já trabalharam juntos no mesmo Navio Fragata “Constituição” como Praça, ele Deusmar era Sargento e no Centro de Formação de Oficiais Almirante Wandenkolk, já como Oficial. E quando saiu o resultado que saiu resultado e seu nome foi o escolhido, o que lhe deixou muito feliz e emocionado, pois além de vir para sua terra, tinha outra oportunidade de reencontrar um amigo dos velhos tempos e, ainda teria como Chefe e Capitão dos Portos.

“Para mim, ainda estou com um lado bem emotivo, mas o outro muito empolgado com o novos desafios. Porque servir em uma Capitania exige uma experiência maior. E eu passei a vida inteira trabalhando com alunos, formação de militares, e o método de trabalho dentro da Capitania é bem diferente. Aqui está mais na prática de fiscalização de embarcações, de habilitações para quem está conduzindo as embarcações, salvamento ,resgate  e a preocupação maior com a proteção da vida Humana dos que trabalham no mar ou nos rios, sendo um grande desafio. E isto me estimula mais, eu gostado”.

Foi com emoção que ele falou do sonho que o pai já falecido tinha de vê-lo trabalhando aqui na cidade e ficando mais próximo de seus familiares: “Hoje meus pais já falecidos mas eles estão muitos felizes lá em cima no céu. Apesar do meu pai já ter falecido, era um sonho ver meu retorno. Ele havia me perguntado se tinha a possibilidade de eu vir servir na  Marinha de Parnaíba, e eu explicava que a Marinha era uma só. Mas, quem sabe, pois para Deus nada é impossível. E deu certo. Só um detalhe: antes de eu vir me apresentar aqui na Capitania, eu fui ao cemitério e conversei com meus pais, o que me deixou muito bem. Foi uma forma de agradecer a eles por tudo”, destacou.

A equipe de militares da Capitania dos Portos do Piauí, tece comentários positivos com a chegada do novo ajudante, Deusmar Moraes. E ele fica lisonjeado com tantos elogios. “Fico feliz porque eles estão compreendendo o que eu quero passar. E eu sempre pensava de que, quando tivesse a oportunidade de chegar em algum lugar e poder mudar algo para o melhor é muito prazeroso! isso me faz muito feliz. Estou trabalhando muito feliz e tentando passar essa minha felicidade que transborda, para eles. Tento mostrar valores que estão esquecidos. Nesta Organização Militar temos grandes profissionais servindo (na Capitania) e às vezes as pessoas esquecem seus valores ou de elevar qualidades deste militares”.

Casado com Adryana Moraes, ele relata de forma apaixonada que encontrou sua cara metade. Somos muito felizes e temos dois filhos uma com 12 anos ( a Júlia) e outro com 20 o (Caio), declarou em tom apaixonado”.

Deusmar finalizou a entrevista falando do trabalho que está realizando com o Capitão dos Portos, Dante. “Nosso trabalho está sendo perfeito. O Comandante Dante é um homem inteligente e tem uma visão muito boa e assim, nossos esforços se multiplicam . Eu dou uma ideia e ele já complementa com mais algo que acrescenta para melhor, onde vão se somando as ideias e tudo isso reflete na tripulação,(Oficiais e Praças) disse o Capitão de Corveta Deusmar Santos de Moraes.

Texto: Camila Neto – Exclusiva blogdobsilva

Fotos: Arquivo Pessoal

Deixe uma resposta