Deputados discutem situação da Uespi: ‘Muito difícil’

Estudantes denunciam sujeira na Uespi (Foto: Whastapp/OitoMeia)

Ellyo Teixeira – [direto da Assembleia do Piauí]: A situação da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) foi discutida durante audiência pública na sala da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). A falta de pagamento de bolsistas e dos servidores terceirizados e efetivos foram os temas discutidos. A audiência contou com a participação de representantes da Uespi e do Governo do Estado.

René Aquino, diretor do campus Clóvis Moura, parabenizou os alunos do pólo pela mobilização feita na instituição que provocou a audiência na Assembleia. Para o diretor, os discentes sentem na pele os problemas que a universidade tem enfrentado.

“São problemas como falta de recursos, falta de autonomia financeira e administrativa. Esse movimento no campus teve como gatilho o atraso no salário dos trabalhadores terceirizados. Que em alguns casos o atraso era de até 4 meses. Isso motivou um acumulo de lixo do campus. E isso encadeou toda essa movimentação”, ressaltou o diretor.

René lamentou ainda as carências pelas quais o campus Clóvis Moura passa. Apesar disso, o diretor destacou que a situação mais grave da Uespi acontece no interior do Piauí. “Alguns cursos têm mais de 20 disciplinas descobertas. A universidade está em uma condição muito difícil. Talvez nunca vista antes na história”, completou o diretor.

O deputado estadual Gustavo Neiva também não poupou críticas e chegou a dizer que o governador não tem a educação como prioridade.

“A situação da Uespi é bastante precária, vai além do que nós imaginávamos. Falta segurança, limpeza,estrutura, são quase 600 disciplinas sem professores. É realmente uma situação calamitosa. Acho que o governador não tem educação como prioridade”, falou o deputado. (Nataniel Lima)

Deixe uma resposta