Agespisa, um sério problema de gestão no litoral do Piauí

Mais uma vez a Agespisa informa aos piauienses de Parnaíba, Luís Correia e da comunidade praiana de Pedra do Sal, que está com problemas no abastecimento de água. Sem novidade, até porque isso é algo comum e rotineiro. Desta vez, a empresa teve que reduzir a produção de água em 50% nesses locais, depois que uma bomba de sistema de captação de água bruta apresentou defeito.
Como uma empresa que atua há tanto tempo na região não consegue, por experiência, fazer um gerenciamento minimamente satisfatório de seus serviços? As reclamações sobre a péssima atuação da Agespisa em Parnaíba não são de hoje. A imprensa está abarrotada de matérias sobre o tema, com todo tipo de insatisfação popular, e em todas as épocas do ano.
Gestão, gestão e gestão. Na verdade, a falta disso, ressalte-se. Não há justificativa para se manter uma diretoria que se mostra, de certa forma, inábil diante de demandas para Parnaíba. No modelo de gestão que a Agespisa atua nos últimos anos, tudo ficará da mesma forma, com os corriqueiros ‘problemas operacionais’ que deixam a cidade sem o precioso fornecimento de água por um, dois, três ou mais dias.

A região mais afastada da área central do município já sofre diariamente com a falta de água, incluindo a comunidade da Pedra do Sal, afetando barraqueiros e prejudicando o desenvolvimento do turismo parnaibano. Já é hora de o Governo do Estado admitir sua incompetência em gerenciar os serviços da Agespisa no litoral piauiense.

Deixe uma resposta