Sem recursos, Defensoria Pública do Piauí corre risco de parar

Se não forem repassados recursos, a Defensoria Pública do Estado terá que escolher entre pagar o 13° salário dos servidores ou custear outros serviços básicos para o funcionamento do órgão.

A constatação foi feita ontem pelo defensor público geral Erisvaldo Marques. Segundo ele, desde o ano passado o órgão vem enfrentando esse tipo de dificuldade e, se os servidores forem pagos, a Defensoria pode parar no dia seguinte, sem ter ao menos internet para realização dos trabalhos.

Pagar ou pagar? Eis a questão!

Deixe uma resposta